Book Tour

[Lançamento] Tied With Me (With Me in Seattle #6) de Kristen Proby

To read this in English click here.

Olá pessoal!

Será lançado hoje, nos EUA, o livro Tied With Me, sexto livro da série With me in Seattle da autora Kristen Proby, que no Brasil será publicado pela Editora Charme.

Aguenta coração!!!

Sinopse

Tied With Me -FrontCover

TIED WITH ME

With Me in Seattle #6

Kristen Proby

good

Um homem cujo estilo de vida é tão diferente do seu próprio…

A loja de cupcake de Nic Dalton está prosperando. Ela serve tanto estrelas do rock quanto moradores locais, contente com o crescimento do seu negócio. Mas uma noite de aventura com sua melhor amiga, Bailey, vira sua vida de cabeça para baixo. Ela conhece um estranho bonito, que faz sua pele chamuscar e seu coração disparar. A única noite deles juntos é explosiva e inesperada, mas quando ele tem que sair de repente, sem deixar seu número de telefone, Nic se resigna a nunca mais vê-lo novamente.

… O que a levará a confiar e se submeter ao desejo dele?

Matt Montgomery é um dos melhores de Seattle. Ele trabalha duro, ama e protege sua família ferozmente, e é leal quase excessivamente.

E ele tem uma propensão para bondage.

Matt aprecia a maneira como uma mulher parece enrolada em suas cordas, e não se desculpa por suas preferências. Quando ele conhece Nic em um festival de fetiche, a mulher linda e pequena chama a sua atenção, puxando-o para ela. Uma única noite com ela era tudo o que ele já procurou em uma parceira, mas é interrompida por causa de uma emergência familiar. Mesmo antes de vê-la novamente semanas depois, ele sabe que nunca vai tirá-la do seu sistema.

E ele vai fazer o que for preciso para fazê-la sua.

— Ceda a isso, Nic. Deixe-me provar a você que eu vou ser uma das melhores decisões que você já tomou.  “Matt Montgomery”

goodreads-badge-add-38px11_zps1ae6e47f

Links de compra: Amazon / Barnes & Noble / iTunes

teaser

Eu sorri e lhe ofereci uma nova garrafa de água, que ela aceita, desenrosca a tampa e toma um gole.

Foda, ela tem belos lábios. Lábios que parecem surpreendentes envolvidos em torno da cabeça do meu pau.

— Não é um crime pertencer a uma academia — eu respondo.

— Minha academia?

— Você é a proprietária? — Pergunto com um sorriso.

Ela ri e balança a cabeça. — Não.

— Não é muito longe do meu apartamento e é conveniente para o trabalho, também, então aqui estou eu.

Ela assente e olha para baixo, sem saber o que dizer em seguida.

— O bolo estava delicioso hoje. — comento casualmente, dando-lhe a oportunidade de falar sobre seu trabalho.

— Ah, que bom! — Ela sorri e se junta a mim enquanto eu caminho em direção à barra de smoothie, puxa uma cadeira para ela sentar em uma mesa pequena para duas pessoas e sento em frente ela. — Estou feliz que tenha gostado.

— Você fez um bom trabalho. Leo e Sam estão sempre falando sobre seus cupcakes.

— Leo e Sam me mantém no negócio, eu juro. — Ela ri, enviando eletricidade na minha espinha. — Eles são muito bons clientes.

Eu concordo com a cabeça, observado-a.

— Eu gostei de seu cabelo mais curto. — eu murmuro e a alcanço para escovar as pontas com meus dedos, apreciando a suavidade.

— A maioria dos homens gostam de cabelos longos. —  ela responde suavemente.

— Eu gosto de cabelos longos, também. Você fica linda com ambos.

Ela franze a testa e olha para longe de mim.

— Por que você cortou seu cabelo, Nic?

Ela encolhe os ombros e não encontra meu olhar. — Era hora de mudar.

— Tente novamente. — eu respondo.

Ela vira os olhos para os meus e alinha seus ombros, firmando seu queixo. — Era hora de mudar.

Isso é mentira.

Eu cruzo meus braços sobre o meu peito nu e arrasto o dedo sobre meu lábio, observando-a se contorcer.

Ela não é uma boa mentirosa.

Bom.

— Está bem!

Ela suspira, aliviada, antes de eu continuar.

— Por enquanto.

Ela fecha a cara pra mim, me fazendo rir. — Amigos não mentem uns para os outros, pequena. Quanto mais cedo você lembrar disso, melhor.

— Você me conhece há três minutos, Matt. Não suponha que você sabe tudo o que há pra saber sobre mim.

— Você sabe o que dizer sobre suposição. — eu murmuro com um sorriso.

— Bem, você é burro. — ela responde e depois ri.

Eu inclino-me e descanso minha boca junto ao ouvido dela. — Esta bunda, eu adoraria bater em sua bunda até brilhar. — sussurro para que só ela possa ouvir.

Tied With Me RDL Banner

Sobre o autor

Kristen ProbyKRISTEN PROBY é autora bestseller do USA Today da série With Me in Seattle. Ela é apaixonada por boas historias de amor e personagens fortes, bem humorados e que tem um grande senso de lealdade familiar.

Seus homens são do tipo alpha – muito protetores e um pouco mandões – e suas mulheres são engraçadas, fortes e nao tem medo de se manter de pé sozinhas. Kristen passa os dias com meu “muso” no noroeste do Pacifico.

Ela adora café, chocolate e por do sol. E sonecas.

Links da autora: Website / Facebook / Goodreads / Twitter

sorteioE tem sorteio de 3 ebooks de Tied With Me, clique aqui e boa sorte!

Quanta emoção!!

Beijos

Book Tour

[Blog Tour] Lovely Trigger (Tristan & Danika #3) de R.K. Lilley

To read this in English click here.

Olá pessoal!

Um dos livros mais esperados de 2014!

É hora de comemorar!

Parabéns pela linda trilogia, R. K. Lilley!

LOVELY TRIGGER (BOOK #3)
R.K. LILLEY
 
A CONCLUSÃO EXPLOSIVA DA HISTÓRIA DE
DANIKA E TRISTAN
teaser

DANIKA

O nome dele era Milton Sagar. Ele era um quarterback da NFL, que tinha acabado de ser convocado para jogar em San Diego. Eu o conheci em uma galeria de exibição em LA numa sexta à noite. Ele veio me visitar na galeria de Vegas na próxima segunda-feira.

Ele era encantador, inteligente, de boa aparência, e muito, muito interessado, e, pela primeira vez em muito tempo, eu descobri que eu estava genuinamente interessada também.

Nada bem no papel interessada.
Frequência cardíaca acelerando interessada.
Isso não tinha acontecido comigo desde Tristan. Eu não tinha certeza se eu estava aliviada ou horrorizada com o desenvolvimento.
Ele era muito persistente. Eu recusei duas vezes.
Ele tinha braços enormes, cabelo preto lindo, de olhos azuis. Ele até tinha covinhas. Ele provavelmente flertava dormindo.
Ele era justamente o tipo de cara que eu deveria evitar.
A terceira vez que ele muito encantadoramente me convidou para sai, eu disse sim para almoçar com ele em Las Vegas, na minha pausa no trabalho. Ele voou só para me ver. Eu não tinha intenção de deixá-lo ir um pouco mais longe do que isso.

— Então você mora em Las Vegas, mas você trabalha muito em LA? — Ele me perguntou entre os aperitivos.

Eu balancei minha cabeça. — Exatamente o oposto. Eu vivo em Los Angeles, mas estou em Las Vegas por enquanto. Gerencio ambas galerias até que eu possa treinar alguém aqui.

— LA não está muito longe de San Diego. — Ele sorriu.

Eu sorri de volta, admirando suas covinhas. Eu disse a mim mesma que eu estava totalmente batendo cabeça.

Seu sorriso desapareceu apenas um pouco. — Eu tenho a pergunta mais estranha para você. Eu espero que você não se importa que eu traga isso, mas um amigo meu me disse uma coisa que tem… me incomodando. Eu acho que ele conhece seu ex -marido.

Eu estava tomando um gole de vinho e quase engasguei com ele. — Meu ex-marido? — Eu perguntei, tentando soar casual. — Este amigo seu se confundiu.

Apenas algumas pessoas no planeta sabia que tinha sido casada por um quente, minuto disfuncional.

Ele pareceu surpreso, mas não descontente. — Ah, é? Bem, isso é bom. Obviamente, eu posso me defender, mas ele me assustou.

Eu não poderia deixar por isso mesmo. Era muito bizarro. — Qual é o nome desse seu amigo?

— Tristan Vega. Tenho certeza que você já viu ele por perto. Ele faz o show de mágica aqui. É muito bom.

Senti-me pálida. Com muito cuidado, eu assentei meu copo, colocando as duas mãos cuidadosamente no meu colo, onde eu poderia apertar -las tão duro quanto eu precisava sem parecer maluca. — O que exatamente Tristan lhe disse?

— Ah, então você não conhece? Não muito. Ele meio que… advertiu-me para se afastar, de uma forma vaga. Ele disse que tinha um ex-marido que era susceptível de me apunhalar no meu sono se eu colocasse a mão em você. Ele disse que era enorme, e insanamente violento quando se tratava de você, ou melhor, com quem você namora. Ele basicamente me disse que seu ex iria para a cadeia por assassinato antes de deixar você sair com um cara como eu.

O grande rancor disso, hipocrisia absoluta que me deu vontade de gritar.

Eu sorri com força. — Tristan tem um senso de humor. Ele estava apenas brincando com você. Eu nunca fui casada.

Nós, infelizmente, nos encontramos ocasionalmente uma vez, mas naquela noite foi a primeira vez que eu tinha procurado Tristan deliberadamente desde o acidente.

Trabalhando no hotel me peguei nos bastidores antes de seu show, e, eventualmente , em seu camarim. Foi muito útil ter o primeiro nome com cada guarda de segurança na propriedade.

Ele me encontrou, sua mandíbula apertada, na porta.

E invadiu o local , fumegando. Eu esperei para falar até que ele fechou a porta, dando-nos privacidade.

— Como você se atreve? — Eu sussurrei, tremendo. Era surreal estar sozinho em um quarto com ele. A única coisa que tornou suportável era a minha raiva não adulterada.

— Eu sei por que você está aqui — disse ele calmamente. — Eu posso explicar.
— Oh, por favor faça. Gostaria muito de ouvi-lo.
Ele deu alguns passos em direção a mim, mas eu me afastei da mesma forma com muitos passos, mantendo distância. — Não se atreva a tentar me tocar.

Ele olhou para baixo, tomando uma respiração profunda. — Claro, Danika. Eu sei como você se sente sobre isso. Acredito que isto é sobre Milton?
Eu balancei a cabeça, mordendo de volta várias coisas sarcásticas que vieram à mente.  — Claro que é . Por que mais eu estaria aqui?
Eu queria dizer muito mais, sobre como a minha vida amorosa não era seu negócio, sobre como ele não chegou a beijar a minha irmã e só Deus sabia o que mais e, em seguida, tentar interferir na minha vida, mas eu segurei minha língua. Foi um esforço hercúleo, mas eu fiz isso. Eu não lhe daria a satisfação de saber o quanto isso me incomodou, como tinha me mantido até à noite, a dúvida, a incerteza. Eu sequer o conheço realmente?

— Por que mais de fato? Ouça, eu disse a ele aquilo por que…

— Eu não posso acreditar que você disse a ele que eu era divorciada!
Ele encontrou meus olhos. Os seus estavam firmes, sua mandíbula tão teimosa que eu não sabia se eu queria dar um tapa ou beijá-la. — Você está divorciada. Seu tom era punitivo. — Esse casamento era uma piada. Nem sequer conta.
Ele se encolheu, nem mesmo tentando esconder isso, uma mão esfregando sua têmpora. — Eu disse a ele, porque ele não é o cara para você.

— Que bonito. Você acha que sabe o que é bom para mim?
— Ele é um mulherengo.
Eu ri . Estava tão amarga que eu queria parar, mas eu não pude evitar, não podia segurar isso dentro de mim. — Olha quem está falando.
— E um mentiroso.
Comecei a olhar em volta, e quando eu percebi que estava tentando encontrar algo para jogar, eu sabia, com absoluta certeza, que eu precisava sair. A cada segundo que ficávamos na proximidade um do outro era ruim para a minha paz de espírito. Esta pequena cena me assombra durante meses. Só de vê-lo de perto assim, e respirando-o, mexia comigo, me trazia de volta.

Eu encontrei o seu olhar firme, tentando não rosnar. — Isso não vem ao caso. Nada disto é  problema seu. Nada na minha vida te diz respeito. Estamos entendidos?

— Por favor, Danika, fique longe dele. Eu sei que você tem o direito de fazer o que quiser, mas entenda que eu não teria interferido se eu não estivesse preocupado. Esse cara não é bom. Ele vai quebrar seu coração, e quando o fizer, eu posso muito bem quebrar seu pescoço.

Minha boca tremia. Com raiva. Com dor. A noção de que ele estava olhando por mim como um irmão mais velho, que ele pensava de si mesmo dessa forma… ardia.

Isso cortava.
Perfurava.
E eu estava ferida o suficiente.
Eu apontei para ele. — Pare com isso. Pare de agir como se desse a mínima, e fique fora da minha vida. Você e Eu. .. não somos nada um ao outro. Menos que estranhos.

Ele balançou a cabeça, e isso me detonou. Eu tive que me conter de atacá-lo, mas na minha cabeça eu estava empurrando, batendo, estapeando. Agarrando sua camisa em ambos os punhos.

Na realidade, naquele repleto, momento fútil, só olhávamos um para o outro.

Nós dois estávamos ofegantes. Eu fechei e abri os punhos, e observei suas mãos copiando o movimento.

— Por favor — ele murmurou.
Saí , e graças a Deus ele não me impediu.
Eu fui a uma jantar de gala bastante público com Milton o próximo fim de semana. Havia um tapete vermelho com os fotógrafos. Eu sorri como se eu estivesse tendo a melhor noite da minha vida para as câmeras, e tentei não pensar sobre o fato de que eu tinha dito sim a isto em grande parte por despeito. Tristan iria ver essas fotos, e ele iria saber o quanto tem a dizer na minha vida.

Deixei Milton me beijar á noite quando me deixou de fora no meu apartamento, mas eu não o convidei para entrar. Foi um bom beijo. O homem sabia o que estava fazendo. Eu sabia que ia deixá-lo fazer isso de novo.

Ele me encontrou no almoço na segunda-feira seguinte em um café elegante, perto da galeria de Los Angeles.

Ele tinha um olho negro e um rosto muito inchado que dizia ser da prática de futebol. Sua história não mudou, mesmo quando eu tentei forçar mais.

Ainda assim, eu não consegui evitar a impressão bizarra que Tristan tinha feito isso, da minha cabeça. Eu não tive nenhuma prova, apenas uma forte sensação por dentro.

Eu cozinhei lasanha para ele na minha casa na semana seguinte, e então eu o deixei me beijar de novo. Eu até o deixei chegar à segunda base, e estava meio tentada a deixá-lo chegar à terceira.

Embora eu não fiz, foi bom me sentir tentada. Eu temia que metade de mim estava permanentemente quebrada.

Talvez eu ainda tinha alguma chance de uma vida amorosa.

Ele era fácil de conversar, e nós conversamos ao telefone quase todos os dias durante três semanas. Eu não estava me permitir muito pensar nele como meu namorado, ou pronto para mesmo querer algo assim, mas certamente parecia estar caminhando nessa direção.

Eu não tinha certeza de como me sentir sobre isso tudo, mas eu estava me divertindo. Ele não me dava borboletas no estomago exatamente, mas pelo menos eu sentia alguma coisa, alguma sombra do fervor que eu provei por um breve tempo.
Não era nada como o inferno da paixão que eu sentia por Tristan, mas mesmo assim, foi um alívio descobrir que eu ainda podia ser acesa de alguma forma, mesmo que fosse apenas uma pequena chama.Era a marca de três semanas quase exatamente, quando eu recebi um telefonema de seu número, só que não era ele do outro lado desta vez.
Nós tínhamos feito planos para se encontrar naquela noite para o jantar, e eu não estava esperando um telefonema dele, por isso o meu tom foi um pouco de uma pergunta que eu respondi:  — Olá?
— É Danika? — perguntou uma mulher do outro lado. Ela parecia que estava chorando.  — Sim. E quem está falando?
— É Belinda.
— Olá, Belinda. Como posso ajudá-la? — Sua voz trêmula me enviou no piloto automático, o que para mim foi uma espécie de profissionalismo destacado.
— Eu sou a namorada de Milton. — ela declarou , com a voz trêmula transformando em pura raiva.
— Perdão? — eu perguntei, completamente pega desprevenida. Como tinha eu perdido isso?
— Ele e eu estamos juntos há nove anos. Eu vivo com ele. Ele não sabe que eu sei sobre você, mas quando ele sai do chuveiro, eu vou entregar-lhe o telefone, e ele pode dizer-lhe tudo sobre mim. — Eu não tenho a menor ideia do que dizer a isso, então nós compartilhamos um silêncio constrangedor por uns bons dois minutos antes eu saí com : — Eu não tinha ideia de…
— Bem, agora que você faz, então o que você vai fazer sobre isso? — Seu tom era animado, mas havia algo desconexo sobre a coisa toda, como se ela não estivesse surpresa. Quantas vezes tinha Milton feito isso com ela? Eu me perguntei, sentindo um pouco desligada de toda a coisa.
Finalmente, Milton entrou na linha, seu tom em pedido de desculpas, um pedido de desculpas para mim, que eu ouvi colocar rapidamente Belinda fora do outro lado da linha.
— Danika, eu posso explicar.Revirei os olhos, sentindo-me mais estúpida do que machucada. Ele só disse quatro palavras, mas todos os pedaços dele se encaixaram com essas palavras, a maneira como ele forma cada sílaba como se tivesse dito isso mil vezes, a inflexão perfeita em seu tom bajulador quando ele lançou no começo salvo que levou às mentiras.Ouvi o mentiroso nele, a linha que ele estava prestes a dizer. Eu tinha o seu número agora. Não havia como reverter a situação. — Não se incomode. Apenas me apague da sua lista de contatos, por favor. Ele disse muita coisa que minha mente focava principalmente em Tristan, e o fato de que ele estava certo sobre Milton. Se eu tivesse dado ouvidos a ele, eu teria me poupado da vergonha.Isso me irritou mais do que qualquer outra parte de toda a coisa sórdida.

Sobre o autor

R.K. Lilley vive no Colorado com seu marido e seus dois lindos filhos.
Ela tinha um monte de trabalhos interessantes, de ser uma comissária de bordo de primeira classe, para ser um stablehand, mas jura que nunca soube o que era trabalho duro até que ela teve filhos.
É viciada em leitura e escrever ficção desde que se lembro.
Adora viajar, ler, caminhar, pintur, jogar, assistir anime, e aproveitar ao máximo todos os dias.
É a autora dos romances eróticos em In Flight, Mile High, Grounded, e o conto, Lana.
links da autora: WEBSITE | FACEBOOK | GOODREADS
Links de venda: 

AMAZON | B&N | KOBO

B&N | KOBO
sorteio

a Rafflecopter giveaway

OHH MEU DEUS!! TRISTAN ESTÁ DE VOLTA!!!

Vamos ler, JÁÁÁÁÁÁÁ!!!

Beijos

Book Tour

[Blog Tour] Leis da Atração (Série After Dark #2) de A.C. Meyer

Ola pessoal!!

Vamos começar bem a semana, hein?!

A autora A.C. Meyer, compartilhou com exclusividade um teaser super especial do seu novo livro, Leis da Atração (Série After Dark #2)!!

Para os fãs que estavam com saudades dessa turma, vai poder matar um pouco as saudades e já se preparar pelo que vem pela frente.

Sinopse

Woman with perfect body hugged by manLeis da Atração

Série After Dark #2

A.C. Meyer

Previsão de Lançamento: Abril/2014

Linda por fora, uma selvagem por dentro.

Johanna Stewart é uma advogada competente que vive um relacionamento intenso com Zach Taylor, o melhor amigo do seu irmão, às escondidas. Enquanto todos pensavam que eles eram apenas conhecidos, Jo e Zach construíam uma história repleta de paixão, sedução e, mesmo que ela não soubesse, de amor. Até o dia em que uma mensagem de texto desencadeia uma turbulência no relacionamento dos dois, abalando a sua confiança em Zach e fazendo-a perceber que o ama.

Ele era como uma droga. Um vício. Uma barra de chocolate no auge da TPM.

Zach passou os últimos três anos envolvido num relacionamento tórrido com Jo, a irmã do seu melhor amigo, Danny. Ele a amava e queria mais do relacionamento entre os dois, mas o medo que Jo sentia de contar a verdade ao seu irmão ciumento o impedia de levar a relação dos dois a um outro nível. Até que uma série de acontecimentos ameaça abalar a relação apaixonante dos dois, exigindo que tanto Zach quanto Jo tenham coragem de assumir seus reais sentimentos e possam superar os momentos de tormenta.

Será que Jo e Zach serão capazes de enfrentar todas as dificuldades para ficarem juntos e Jo vai, finalmente, encontrar a coragem em seu coração para assumir o amor que sente pelo único homem capaz de balançar seu mundo?

Atenção: Esse livro contém uma quantidade absurda de paixão, romance, situações engraçadas, um grupo de amigos apaixonantes, um amigo gay hilário e os melhores namorados fictícios que as leitoras poderiam querer.

goodreads-badge-add-38px11_zps1ae6e47f

teaser

Inesperadamente, sinto uma mão segurar minha cintura.
— Oi, linda. Você vem sempre aqui? — Uma voz grave fala em meu ouvido. Um rapaz alto, parecendo um estudante universitário, bem mais novo que eu, sorri para mim. Ele não é lindo como Zach, mas também não é feio.
— Sim, meu irmão é um dos donos. — Eu respondo. Sou terrível para fugir das paqueras da noite. Tenho pavor de ser grosseira com alguém e acaba sendo um problema, por que o cara sempre acha que estou dando mole.
— Uau. Que legal, hein? — Ele fala com aquela empolgação típica dos rapazes. Estou me sentindo uma tia velha. Droga. — Eu sou Brandon, e você?
—Johanna.
— Que nome lindo, Johanna. Como você. — Para fechar com chave de ouro o festival de cantadas clichê, Brandon beija a minha mão. Se eu não estivesse vendo a malícia em seus olhos, eu poderia dizer que tinha sido um beijo casto. Como esse garotinho conseguiu insinuar tanto, só com isso, está além da minha imaginação.
Não preciso olhar na direção de Zach para sentir que sua atenção está em mim e que ele está tenso. A irritação irradia dele como uma aura.
Percebo ciúmes também? Agora sim isso está ficando bom, Senhor-eu-não-estava-flertando-com-a-morena-vadia.
picmonkey_image (2)Em menos de dois minutos, Zach se livra da cachorra e aparece do meu lado, pegando-me pelo cotovelo. Ele me leva com uma calma fingida em direção ao escritório, enquanto George e Livy nos olham de boca aberta.
No caminho, já um pouco longe do barulho, ele me pergunta:
— O que você pensa que está fazendo?
 Que gracinha, bancando o desentendido? Há! Dois podem jogar o mesmo jogo.
— Não tenho a mínima ideia do que você está falando. — Bato meus cílios para ele.
Em segundos, ele me pega pela cintura com uma mão. A outra está em meu cabelo, mantendo minha cabeça onde ele quer, mas sem machucar.
— Princesa, o que eu faço com você, hein?
Molho meus lábios e falo com ar inocente: — Eu tenho algumas ideias em mente. — E dou meu melhor sorriso de gato de Cheshire.
Meu último pensamento antes de sua boca encontrar a minha é: qual parede do escritório dele nós ainda não inauguramos.
— Vem, quero ouvir algumas dessas suas ideias. — ele fala, me puxando para dentro do escritório dele e, quando ele acende a luz, eu levo um susto de morte.
Fala que também não ficou com vontade de ler logo!!!
Sobre o autor
A. C. MeyerA.C. Meyer é carioca, tem 32 anos e é completamente apaixonada por livros.

Não satisfeita em ler, sua mente inquieta resolveu escrever seus próprios finais felizes.
Quando se desgruda dos livros e da internet, A. C., se diverte dando gargalhadas com sua mãe, batendo papo na companhia dos amigos e assistindo a comédias românticas ao lado do seu próprio príncipe.

Suas inspirações literárias são as autoras Emma Chase, Sophie Kinsella e Kristen Proby, ícones da literatura romântica mundial.
Leis da Atração é seu terceiro livro publicado, e faz parte da série After Dark.
Chega logo abril!!!
Beijos
Notícias

[Notícias] Lançamentos Março/2014 Editora Intrinseca

Olá pessoal!!

A Editora Intrínseca divulgou seus lançamentos para março, vamos conferir:

Estrante-março-e1393600961474

Silo, de Hugh Howey

Em uma paisagem destruída e hostil, em um futuro ao qual poucos tiveram o azar de sobreviver, uma comunidade resiste, confinada em um gigantesco silo subterrâneo. Lá dentro, mulheres e homens vivem enclausurados, sob regulamentos estritos, cercados por segredos e mentiras. Para continuar ali, eles precisam seguir as regras, mas há quem se recuse a fazer isso. Essas pessoas são as que ousam sonhar e ter esperança, e que contagiam os outros com seu otimismo. Um crime cuja punição é simples e mortal. Elas são levadas para o lado de fora. Juliette é uma dessas pessoas. E talvez seja a última.

A maldição do titã: Graphic Novel – Série Percy Jackson e os olimpianos (vol. 3), de Rick Riordan, Robert Venditti, Attila Futaki e Greg Guilhaumond

Percy está de volta em mais uma missão. Cronos, o Senhor dos Titãs, arquitetou um de seus planos mais traiçoeiros: um monstro ancestral foi despertado – um ser com poder suficiente para destruir o Olimpo –, e Ártemis, a única deusa capaz de encontrá-lo, desapareceu em uma caçada. Percy e seus amigos – entre eles, dois novos meio-sangues de ascendência ainda desconhecida – têm apenas uma semana para localizar a deusa sequestrada e solucionar o mistério que ronda o monstro que ela perseguia. A terceira aventura da série coloca nosso herói e seus aliados frente a frente com o maior desafio de suas vidas: a terrível profecia da maldição do titã.

O segredo do meu marido, de Liane Moriarty

Cecilia Fitzpatrick encontra no sótão de casa uma carta escrita por seu marido. Seria algo corriqueiro, não fosse uma anotação bastante intrigante no envelope: “Para ser aberto apenas na ocasião da minha morte.” Apesar da recomendação, ela resolve abrir a carta e se vê obrigada a lidar com uma revelação avassaladora. O segredo do seu marido, John-Paul, atingirá não só seus três filhos e um longo e sólido casamento, mas também a vida de outras duas famílias. Cecilia agora precisará fazer uma escolha: optar pelo silêncio e permitir que a verdade corroa seu coração ou revelar o que leu e magoar profundamente as pessoas que mais ama.

Schroder, de Amity Gaige

Ao se candidatar a uma vaga em uma tradicional colônia de férias para meninos, Erik Schroder – um adolescente de quatorze anos que deixou a Alemanha Oriental rumo aos Estados Unidos ainda criança – adota um novo nome, Eric Kennedy, na esperança de melhor se encaixar entre os garotos americanos. Uma mentira aparentemente inofensiva, mas que o levará a uma jornada trágica e irracional.

Anos depois de forjar a nova identidade, já adulto e morando em Nova York, Eric é declarado fugitivo pela polícia quando desaparece com Meadow, sua filha de seis anos. Em meio a uma dolorosa batalha com a ex-mulher pela guarda da menina, Eric tenta escapar das autoridades, e as pessoas logo vão descobrir que ele não é quem diz ser.

Restos humanos, de Elizabeth Haynes

Ao encontrar por acaso o corpo de uma vizinha em avançado estágio de decomposição, Annabel Hayer, que trabalha com análise de informações para a polícia, fica horrorizada ao pensar que ninguém – e isso inclui ela mesma – sentiu falta daquela mulher. De volta ao trabalho, ela vasculha os arquivos policiais e encontra dados que mostram um aumento significativo de casos como aquele nos últimos meses em sua cidade. Conforme aprofunda sua investigação, Annabel parece cada vez mais convencida de estar no rastro de um assassino e é obrigada a enfrentar os próprios demônios.

As doze tribos de Hattie, de Ayana Mathis

Em 1923, aos quinze anos, Hattie Shepherd deixa a Geórgia para se estabelecer na Filadélfia, na esperança de uma vida melhor. Mas se casa com um homem que só lhe traz desgosto, e observa indefesa seu casal de filhos gêmeos sucumbir a uma doença que poderia ter sido evitada com alguns níqueis. Hattie dá à luz outras nove crianças, que cria com coragem e fervor, mas sem a ternura pela qual anseiam. Em lugar disso, assume o compromisso de preparar os filhos para as calamitosas dificuldades que certamente enfrentarão vidas, e de ensiná-los a encarar um mundo que não os amará nem será gentil. A partir da perspectiva de cada um dos doze descendentes de Hattie, acompanhamos a história monumental de uma mãe e a trajetória de uma família.

Uma questão de caráter, de Paul Tough

Por que algumas crianças se tornam adultos bem-sucedidos e outras não? Essa pergunta intriga pais e pedagogos do mundo inteiro, e a resposta mais comum tende a ser que o potencial de sucesso de uma criança varia de acordo com sua inteligência. Mas, nas últimas décadas, pesquisadores vêm constatando que notas altas e testes de QI não são indicadores de uma educação de qualidade – e muito menos uma garantia de sucesso na vida.

O jornalista Paul Tough coloca em debate o atual paradigma da educação e questiona o valor dado à ideia de que uma criança bem-sucedida é aquela capaz de memorizar todo o conteúdo transmitido na sala de aula. Em Uma questão de caráter, o autor aborda com grande clareza o problema e defende: devemos dar mais atenção ao desenvolvimento de qualidades não cognitivas, como curiosidade, persistência e determinação.

O que me faz pular, de Naoki Higashida

Naoki Higashida sofre de autismo severo. Com grande dificuldade de se comunicar verbalmente, o jovem aprendeu a se expressar apontando as letras em uma cartela de papelão, e, aos treze anos, realizou um feito extraordinário: escreveu um livro. Delicado, poético e profundamente íntimo, O que me faz pular traz uma nova luz para entendermos a mente autista. O jovem explica o comportamento muitas vezes desconcertante das pessoas com autismo e compartilha conosco suas percepções de tempo, vida, beleza e natureza, apresentadas em um relato e um conto inesquecível.

Deuses e guerreiros, de Michelle Paver

Excluídos da sociedade, obrigados a viver nas florestas e sem contarem com a proteção dos deuses, os forasteiros nunca tiveram uma vida fácil. No entanto, quando guerreiros de armaduras negras e rostos cobertos de cinzas passam a caçá-los, a própria existência desse povo excluído é ameaçada. Separado da irmã, Issi, Hylas foge para sobreviver em Os forasteiros, primeiro livro da série Deuses e guerreiros, de Michelle Paver, ambientado na Idade do Bronze.

A busca pela irmã levará o menino a formar alianças improváveis com Pirra, a filha rebelde da Sacerdotisa Suprema, e Espírito, um golfinho separado de seu bando. Além disso, Hylas precisa descobrir por que está sendo caçado e como os deuses estão envolvidos em sua jornada.

Março só alegria 😀

John-Green-author-photo (3)

Para mais informações dos lançamentos, basta acessar a página da Editora Intrínseca.

E para os fãs de Jonh Green, vamos parabenizá-lo pela bela homenagem recebida na 4ª edição, o L.A. Times Book Prize com o Innovators Award, pelo uso dinâmico de ferramentas on-line para entreter e incentivar seus fãs. Juntamente com o irmão, Hank, John se tornou um dos videobloggers de maior sucesso na internet e lançou campanhas de arrecadação para organizações sem fins lucrativos que ajudaram milhares de pessoas.

Mais sobre a matéria no site da Intrínseca aqui.

Beijos

Capas

[Capas] Blissful Surrender (Bliss #3) de BJ Harvey

To read this in English click here.

Olá!!!

Como nós acompanhamos os outros livros dessa série incrível, não poderíamos ficar de fora dessa!

Vamos conhecer a bela capa de Blissful Surrender (Bliss #3) de BJ Harvey!

capa

Título: Blissful Surrender ( Bliss #3)
Autora: BJ Harvey
goodreads-badge-add-38px11_zps1ae6e47f
Sinopse

Esta é a história de Sean Miller, um dom que vai ter as suas cuecas viradas do avesso num piscar de olhos. Que vai ter mesmo a mulher mais forte caindo de joelhos em submissão com um olhar penetrante, e Samantha Richards, uma mulher policial que é difícil, aparentemente impenetrável, é forte o suficiente para resistir a todos, exceto a um homem que ela foi criada para si proteger contra.

Aviso Importante *** Se você pensou que os dois primeiros livros  da série estavam quentes, você não viu nada ainda. Uso criativo de algemas, cassetetes, uma cena no clube que você tem que ler para crer, e um dominante resistente como prego que é pego de surpresa por um mulher forte o suficiente para ameaçar a sua determinação de não deixar seu passado ditar o seu futuro. ***

Como os outros livros da série Bliss, este livro pode ser lido fora da sequência. Há personagens comuns nos livros, mas não é necessário ler os dois primeiros livros da série para ler este.

teaser

— Sean , eu …

Não. Ela não vai terá mais nenhum um momento para desistir disso, ou de nós. Ela tem corrido por muito tempo. Desta vez é para valer. Desta vez, eu não vou deixar nada ficar entre nós , nem meu irmão, nem sua mãe , e nem seu trabalho e nenhuma ideia complicada que tem em sua cabeça que ela não é a submissa eu preciso que ela seja. Estou farto da porcaria, e desta vez eu quero o que é meu.

E Sam é minha.

Envolvendo o meu braço em volta de sua cintura, eu puxo seu corpo apertado contra o meu e inclinar minha cabeça, descendo minhaboca na dela enquanto ela engasga em choque. Minha mão agarra seu rabo de cavalo loiro, segurando-a no lugar. Seus músculos tensos relaxam quando minha língua rola sobre a dela enquanto eu me propus a redescobrir a beleza que é Samantha Richards. Seu gosto é inebriante, e eu encontro-me querendo consumi-la, me perder dentro dessa linda mulher cuja mente continua a negar a conexão entre nós. Neste momento, eu quero mostrar-lhe tudo o que sou, tudo o que eu posso fazer para ela, todas as formas possíveis que eu possa fazê-la sentir. Eu sei que estou perdendo o controle, mas com Sam, eu não me importo.

Eu pressiono meus quadris contra ela, pressionando o meu pau duro como aço contra a suavidade de seu estômago. Eu sinto seus braços mover-se entre nós, e eu espero que ela me afaste, mas ela agarra minha camisa e me puxa para mais perto, empurrando seus quadris para mim em um convite silencioso.

Ela pode não ser capaz de admitir as palavras, mas ela pode me mostrar com seu corpo, com suas ações, ela não pode mais negar a faísca entre nós.

Eu puxo minha cabeça ligeiramente para trás, passando meus dentes através do seu lábio inferior. Eu olho o rosto dela, à procura de qualquer incerteza remanescente. Se ela dissesse que não, iria doer como o inferno, mas deixaria ela ir. Mais uma vez. Mas tudo que eu posso ver são, lábios rosados ​​inchados e olhos mestiços cheios de desejo, e eu sei que naquele momento que eu tenho a minha Sammy de volta. Mesmo que seja apenas por alguns momentos, algumas horas , ou talvez a noite… se isso for tudo que eu posso conseguir com ela, então eu vou ter isso alegremente.

Se esta é a única chance que eu tenho com ela, eu vou fazer valer a pena. Vou fazer isso durar até nenhum de nós pode se mover, até que nenhum de nós consiga respirar.

— Você estava dizendo? — Eu pergunto, levantando uma sobrancelha.

Sobre o autor
BJ Harvey é a autora bestseller da Amazon com a série de comédia romântica The Bliss e a série de suspense The Lost. Uma ávida fã de música, você sempre vai encontrá-la com fones de ouvido enquanto escreve, e os alto-falantes tocando o resto do tempo. Ela é uma esposa, mãe de dois filhos lindos, e um estudante universitário em tempo integral. BJ reside com sua família em que ela considera o melhor país do mundo, a Nova Zelândia.
Links da autora: AMAZON AUTHOR PAGE | GOODREADS | FACEBOOK | TWITTER | PINTEREST
OUTROS LIVROS DA SÉRIE
Temporary Bliss (Bliss #1)
True Bliss (#2)
sorteio
Super ansiosa por esse livro!
Beijos