Resenha

[RESENHA] “Uma dama fora dos padrões” (Série Os Rokesby – Livro 1), de Julia Quinn por Editora Arqueiro – @JuliaQuinn @editoraarqueiro

Oi! Meu nome é Clarisse, eu era viciada em livros, mas por causa da minha vida doramática, as leituras andava bem lerdinhas 🐢🐢🐢 Mas Julia Quinn veio salvar a minha pele. Acho que estou curada! 😬

“Às vezes você encontra o amor nos lugares mais inesperados…

Esta não é uma dessas vezes.

Todos esperam que Billie Bridgerton se case com um dos irmãos Rokesbys. As duas famílias são vizinhas há séculos e, quando criança, a levada Billie adorava brincar com Edward e Andrew. Qualquer um deles seria um marido perfeito… algum dia.

Às vezes você se apaixona exatamente pela pessoa que acha que deveria…

Ou não.

Há apenas um irmão Rokesby que Billie simplesmente não suporta: George. Ele até pode ser o mais velho e herdeiro do condado, mas é arrogante e irritante. Billie tem certeza de que ele também não gosta nem um pouco dela, o que é perfeitamente conveniente.

Mas às vezes o destino tem um senso de humor perverso…

Porque quando Billie e George são obrigados a ficar juntos num lugar inusitado, um novo tipo de faísca começa a surgir. E no momento em que esses adversários da vida inteira finalmente se beijam, descobrem que a pessoa que detestam talvez seja a mesma sem a qual não conseguem viver.”

AMAZON

Sempre fico procrastinando as leituras da Julia Quinn e quando começo sempre penso: “Por que não fiz antes? Que burra!”. É aquela coisa básica de se sabotar nas leituras. Minha vida!

O primeiro volume da série Os Rokesby traz a história que mais gostei da autora até agora. Billie Bridgerton é o que toda mocinha deveria ser: louca. Apesar de viver na sociedade restrita do século 18, em momento nenhum deixa de ser quem é. Como filha mais velha, Billie está a frente da administração da propriedade da família, ajudando o pai através da leitura de livros a melhorar a renda da família e dos arrendatários.

“Ela era dona de um sorriso largo e uma risada contagiante, e Deus do céu, como era possível que ele fosse a única pessoa na Inglaterra que parecia perceber o perigo que ela representava para a humanidade?”

Sente muito orgulho do que fez atá agora para ajudar a família, mesmo que isso ás vezes escandalize a mãe que é contra que a filha mais velha ande por aí de calças cavalgando pela propriedade, quando deveria estar participando da sociedade ou casando. E esse sentimento de não desistir das próprias convicções é o que torna Billie uma personagem tão carismática e interessante.

“E, de alguma forma, todos sempre a perdoavam. Billie tinha essa coisa – não era exatamente charme, mas uma confiança louca e imprudente – que fazia as pessoas ficarem ao seu lado.”

E o mocinho também não fica atrás. George é o dono do sobrenome que leva a série, Robesky e é muito fácil fazer uma conexão com ele logo de começo. Apesar do tom sério que emprega a maior parte do tempo, ele não é um homem fútil que só pensa nas convenialidades da época, é preocupado com as responsabilidades que estão aguardando por ele como o mais velho da família e o único que está em casa.

“George Rokesby era exatamente o tipo conservador e retrógrado que se esperaria do herdeiro de um condado. Seria justo dizer que George Rokesby, o filho mais velho do conde de Manston e atualmente conhecido pelo mundo civilizado como o visconde de Kennard, era um cavalheiro sereno.”

E são essas similaridades que tornam Billie e George perfeitos um para o outro, mas infelizmente o preconceito um com o outro e as brigas constantes que os cercam é como uma viseira que os impede de se aproximar. E sem contar que se conhecem desde a infância já que são vizinhos. Ele mora em Crake House e Billie na Aubrey Hall, na cidade de Kent.

Mas é numa brincadeira boba que Billie se vê em apuros e precisa da ajuda do George. E isso é logo no começo do livro e eu não conseguia parar de rir um só instante. E é a partir daí que algumas coisas mudam para os dois: a forma como se veem e o que pensam um do outro.

“Ela estava em apuros, portanto ele não tinha escolha. Precisava ajudá-la, por mais irritante que a achasse. E ele achava. Ah, ela sabia que achava. George nunca fizera qualquer esforço para disfarçar isso. Embora, para ser sincera, nem ela.”

Vocês, algumas vez, já encontraram aquele livro que te fisga logo no começo? “Uma dama fora dos padrões” é assim, e eu amei cada segundo dessa leitura. Esses personagens são uns brigões de carteirinha e está para nascer pior. Era engraçado o jeito como se espetavam, mas também tinha um fundo de verdade que os permitiu ir se conhecendo a cada vez que se encontravam.

“Tudo o que ele queria era… Não sabia. Esse era o problema. Ele não sabia o que queria, apenas que não era exatamente aquilo. Sua vida, percebera, havia alcançado um novo patamar de banalidade.”

Toda a família Rokesby é muito interessante. A mãe deles principalmente! Ela aparece muito pouco, mas quando chega em com tudo, sabe. Senti falta de um pai mais participativo, mas foi só a minha impressão, de repente nos próximos ele apareça mais. Andrew virou meu Rokesby preferido 😍  É o filho que está na Marinha, só que no momento está de volta a Kent devido um braço machucado, nos proporciona momentos maravilhosos e divertidos conhecendo mais do seu jeito espirituoso, assim como a Billie. E o próximo livro é do Edward, o filho que está na frente de batalha e durante a leitura dá para entender mais um pouco sobre ele.

“E aquilo doeu. Ah, como doeu… Que ironia. Billie não se importava que George Rokesby não quisesse se casar com ela. Na maior parte do tempo ela nem sequer gostava dele. E sabia que, quando ele se dignasse a escolher uma noiva, a dama tão agraciada não seria nada parecida com ela.”

O afeto que vai crescendo gradativamente entre George e Billie é o ponto alto para nós amantes de romances, mas acredito que a parte em que cada um deles vão se auto conhecendo também é importante. Eles tem questões que precisam ser resolvidas internamente e é muito bom vê-los se encontrando, e é após isso que o romance de fato acontece. Ambos são tão anti-romance que vê-los se apaixonando é tão fofo e muito divertido.

” – É uma cor bonita. Ela hã… realça seus olhos.
– Meus olhos são castanhos.
– Ainda assim.
– Santo Deus, George. Alguma vez você já fez um elogio a uma dama?
– Alguma vez você já recebeu um?”

Para mim, “Uma dama fora dos padrões” foi uma leitura cinco estrelas e favoritado. Até a vibe campestre, já que a ambientação não é na Londres festiva que os leitores de romance de época estão acostumados, me agradou muito. Não é uma leitura com muita interação, bailes ou acontecimentos arrebatadores, devido á vida pacata no campo, mas é tão cheio de vivacidade por causa dos personagens que em nenhum momento isso foi um incômodo. Eu vibrei, me encantei e torci muito pelo que ia acontecendo conforme a história progredia.

Se eu pudesse definir esse livro com uma palavra seria: divertido.

Participe do “Comentário Premiado de Setembro” clicando aqui

 

Anúncios

6 comentários em “[RESENHA] “Uma dama fora dos padrões” (Série Os Rokesby – Livro 1), de Julia Quinn por Editora Arqueiro – @JuliaQuinn @editoraarqueiro

  1. Clarisse!
    Aquela pessoa frustrada por não ter lido ainda livros da autora? Sou eu!
    Cada vez que leio sobre os livros dela eu me encanto ainda mais e fico bastante ansiosa pra conhecer a escrita tbm.
    Esse livro parece ser lindo, só li coisas boas sobre ele, então, espero conseguir ler me breve.
    Bjs!

    1. Como assim, Aline?!! Vai correndo agora rs
      Tenta se programar para pegar algum livro da Julia, tenho certeza que você vai amar.
      Bjks

  2. Oi Clarisse, eu vi alguns comentários não tão positivos sobre esse lançamento da Júlia e fui ler sem tanta expectativa, mas estava me preocupando a toa, eu amo as histórias da Júlia e mesmo não tendo favoritado essa, uma coisa ou outra me incomodou, a autora sempre me conquista, eu ri, suspirei e curti muito essa leitura. A resenha tá linda e a capa também é belíssima, tenho que destacar 😉

    1. Eu tbm li resenhas negativas e fiquei me perguntando o que não gostaram.
      Por isso fiz questão de tocar no assunto do livro se passar no campo e não ter muita ação que acontece nos bailes na Inglaterra, o que não tirou o brilho da narrativa da Júlia.
      É verdade, também não foi meu favorito, mas a mágica da autora está nele e eu me diverti muito.
      Ótimas leituras

  3. Ahhh quero muito ler todo mundo falando super bem desse livro 💞 Adorei a resenha 💝Amei saber sobre o livro com toda certeza entrou na minha wishlist 😅 Black Friday que me aguarde KKK 🤑 Queria saber se poder ler esse sem ter lido os outros 🤔

    1. Faz a lista enorme da Black Friday hahaha
      Não tem problemas ler esse e não ler nenhum outro da autora. Geralmente não é necessário. Júlia faz um enredo bem fechadinho.
      Aproveite as leituras. Bjks

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s