Resenha

[RESENHA] “Mônica e Enzo e todos os dias” de Denise Flaibam

Hoje o post é meio polêmico. Não sei se polêmico é a palavra certa.

Como diz quando a gente resenha um livro que não gostou?

Mônica gosta de rotinas. Ela aprendeu a evitar situações desconfortáveis por causa delas. Com dezessete anos, cinco irmãos, um talento nato para a fotografia e uma paixão antiga pelo Enzo, o maravilhoso goleiro do time da escola, Mônica está muito bem, obrigada.

Contudo, um mal entendido coloca Mônica como fotógrafa oficial dos jogos, o que significa encontrar com o astro do time de futebol, consequentemente o amor da sua vida várias vezes no dia. Passos bem calculados se tornam uma sequência de incidentes inesperados, como encontros nas festas da escola e sorrisos apaixonados. Espera aí… O Enzo, apaixonado por ela?

De repente, Mônica precisa lidar com as reviravoltas da vida adolescente, coisas que até então tinha conseguido evitar. Mônica e Enzo e Todos os Dias é a história de um amor surpreendente e cheio de possibilidades. Será que a Mônica vai conseguir fugir dos seus medos para viver esse primeiro amor?

AMAZON

Quando eu chamei a @euleioromance para fazer essa leitura conjunta não sabia onde estava me metendo, e como não leio sinopse, fui pela indicação de um amigo que confio e estava muito empolgada por ser um YA nacional.

Logo no início conhecemos a grande família de Mônica e como todos estão emaranhados na vida um do outro. Com um pai, uma mãe, cinco irmãos e uma tia sempre presente, privacidade é algo para ser esquecido; mas nossa mocinha já está acostumada com um fazendo parte da vida do outro.

Ela tem um talento para fotografia e participa do jornal da escola ativamente, mas gosta de ficar com as matérias mais convencionais, e quando o redator a designa para cobrir a seção de esportes da escola o mundo meio que gira de modo contrário já que agora ficará mais perto de Enzo, sua paixão antiga.

“Enzo é o cara que faz o sol acordar pelas manhãs aqui na minha cidade, basicamente.”

Mônica tem uma paixonite astronômica por Enzo. Ele é o craque e capitão do time de futebol, popular, divertido e com muito amigos. Além de ser negro e ter uma representatividade muito boa e dono de um carisma fenomenal! E é essa nova atividade no dia a dia dela que vai os aproximar e fazer com que laços sejam criados, principalmente por parte do Enzo que é o principal em tomar a iniciativa e fazer Mônica deixar a timidez de lado. 

“O problema é que comigo, não é só o querer, mas o desejar ardentemente há tanto tempo que dá para descrever os meus sentimentos como beliscões por todo o corpo.”

Mas agora que já dei uma resumida nas coisas, vamos falar sobre os pontos que não curti. Um deles e o principal foi que não consegui identificar quem era a protagonista; ela estava lá e não estava. A narrativa escolhida pela autora foi um grande passeio entre a história de vários personagens, como a Ruth e o Rodolfo, que são melhores amigos da Mônica e a irmã da protagonista, Lílian; o que acarretou no pouco desenvolvimento da Mônica e havia potencial, já que desde o começo é criado um suspense sobre algo que ela possa estar sofrendo, mas a explicação não vinha com o avançar dos capítulos. Eu só achei que a Mônica era um menina extremamente tímida.

“Quanto mais você acha que não criou expectativas, maiores elas são. E mais destrutivas serão as consequências dela.”

E quando um protagonista é mal apresentado vai criando outras dificuldades, como a de analisar os sentimentos dela, principalmente no que se referia ao Enzo. Nada que saia da boca – ou dos pensamentos – da Mônica iam além de como o físico do Enzo era maravilhoso. Se eu contei duas vezes em que a protagonista falou algo sobre a personalidade dele como algo positivo foi muito. E o Enzo é um protagonista masculino muito bom que poderia ter sido explorado de muitas formas, tanto que poderia ter sua própria narrativa dentro da história.

“- Mônica. Eu queria te ver.”

Até conversei com a @euleioromance e ela também não estava gostando. E fui conversar com meu amigo que amou e ele disse que gostou muito de como a Mônica tinha um problema e que teve que aprender a lidar com ele. Talvez meu amigo tenha sido mais sensível que eu e sacou as dificuldades dela antes, mas a autora só apresenta com todas as letras o problema da personagem em 90% e eu já estava cansada, fazendo com que nada que viesse dos últimos 10% iriam me convencer do contrário. Como, de fato, não foi.

E desse modo, quando eu achava que o desenvolvimento da personalidade, gostos, o seu amor pelo Enzo e até seus planos futuro foram sendo deixados de lado para um fluxo de consciência da protagonista que não era necessário. Foram 281 páginas que me deixaram um amargor bem difícil de curar, e isso vai se refletir na minha não vontade de ler o conto que Mônica e Enzo possuem e no livro da Lílian.

Participe do comentário premiado de junho clicando aqui

Anúncios

8 comentários em “[RESENHA] “Mônica e Enzo e todos os dias” de Denise Flaibam

  1. Oi Clarisse!
    Eu ainda não conhecia Mônica e Enzo, já gostei de cara, espero ter oportunidade de ler qqr dia.
    bjs!

  2. Oi Clarisse,
    Nossa, é uma pena que os personagens tenham ficados pouco desenvolvidos, por ser uma história adolescente acho normal esse lado da protagonista ficar babando no físico do seu crush, não é algo que curto muito também, mas acho que até entendo a autora, já que no colégio as paqueras são assim, rsrs.
    Eu até achei o desenvolvimento da história legal, clichê, mas boa, pena que não te conquistou.
    Beijos

    1. hahahahaha Vitória, será que eu não me joguei na personagem?
      Talvez eu tivesse que ter me vestido de adolescente né?
      Não sei, acho que não comprei muito a proposta.
      Vc já leu esse livros?

      Beijinhos ❤
      E ótimas leituras

  3. Que pena que vc não curtiu, mas felizmente conseguiu terminar e se livrar. Agora é bola pra frente. Espero que o próximo livro seja mais digesto.

    1. Amigaaaaaaa… você aqui de novo ❤
      Sim, me livrei. Vamos torcer para o próximo ser maravilhoso!
      Beijos

  4. Clarisse!
    Acompanho o blog da Denise mas nem sabia que ela tinha escrito um livro, acredita?
    Ai que coisa mais fofa.
    O livro deve ser uma delícia de ser lido.
    Fiquei bem interessada.
    “Sou uma só. (…) Sou um ser. E deixo que você seja. Isso lhe assusta? Creio que sim. Mas vale a pena. Mesmo que doa. Dói só no começo.” (Clarice Lispector)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JUNHO – 5 GANHADORES
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s