Parceria · Resenha

[RESENHA] “Sem amor”, de Katy Regnery por Editora Charme – @KatyRegnery @EditoraCharme

Boa tarde!!!

Leitura que furou a imensa fila de livros para ler.

Um história forte e sensível, com personagens marcantes e quebrados, mas que cada pedaço de um se completa no outro.

Não é exagero nada que vocês leram nas últimas semanas: Cass rouba o coração de quem lê este livro 

Confiram a resenha completa abaixo.

 

Meu nome é Cassidy Porter… Meu pai, Paul Isaac Porter, foi condenado quase vinte anos atrás pelo brutal assassinato de doze garotas inocentes. Embora eu tivesse apenas oito anos naquela época, tenho noção — a cada dia da minha vida — de que sou seu filho, seu único filho. Para proteger o mundo do veneno que corre em minhas veias, vivo uma vida tranquila, fora de vista, isolado da humanidade. Prometi a mim mesmo, e à minha mãe, que não infectaria vidas inocentes com a escuridão que se revira dentro de mim, esperando para ser revelada. Eu teria mantido a promessa… se Brynn Cadogan não tivesse surgido na minha vida. Agora, eu vivo entre o céu e o inferno: apaixonado por uma mulher que quer me amar, enquanto tudo ao meu redor me faz lembrar de que preciso permanecer… Sem amor.

Quando ela sorri, até mesmo eu, condenado desde o nascimento, amaldiçoado desde o berço, sinto o coração rugir.

Este é o terceiro livro de Katy Regnery publicado no Brasil, sendo que é o primeiro pela Editora Charme. Não havia lido nada da autora ainda, e quando vi o anúncio de lançamento deste livro, fui ler a sinopse e pronto: vi que necessitava ler este livro o quanto antes.

Aqui nós conhecemos Cass e Brynn e a forma como um provou para o outro que mereciam sim viver cercados de amor.

Brynn ainda está vivendo o luto mesmo após dois anos da morte de seu amado Jem. A dor dela é tanta, que parecia que Jem era um personagem que eu conhecia muito bem, sendo que o livro já começa nestes dois anos após sua morte. Bryyn vive de forma reclusa, evitando sair muito de casa, e por isso seu luto parece não ter fim.

Este é o maior problema de se perder alguém a quem se ama tanto quanto eu amava Jem: nunca conseguimos ser a pessoa que éramos antes. Nunca. Ainda estou tentando descobrir quem me tornei.

Disposta a dar um adeus definitivo a Jem e tentar seguir em frente, Brynn viaja para seguir a trilha até Katahdin, imaginando que este fosse um dos desejos de Jem, já que ele era um amante das trilhas, escaladas e da floresta.

Cassidy é um jovem de 27 anos atormentado pelos estupros e assassinatos que seu pai cometeu. Acompanhamos Cass desde criança, onde sofri com ele sendo perseguido por coisas que ele não era capaz de entender, sendo obrigado a mudar de escola e viver no meio do nada porque todos achavam que ele ainda criança poderia ser tão perigoso quanto seu pai.

Cass e sua mãe vão morar em uma cabana no meio da floresta próximo ao Katahdin com seu avô, isso tudo para que ele permaneça o mais longe possível das pessoas o impedindo de se tornar perigoso.

Uma sucessão de acontecimentos, incluindo com Brynn cruzar o caminho de um lunático, faz com que ela fique a beira da morte, e é Cass que a salva e a ajuda a se recuperar.

Eu não a conheço.

Não tenho direito algum sobre ela.

Não deveria me sentir atraído.

Em alguns dias, ela irá embora.

Mas agora não há nenhum outro lugar do planeta onde eu preferia estar.

Nestes anos morando na cabana, Cass viu as únicas pessoas que o amaram morrer há muitos anos: sua mãe e seu avô. Na companhia dos animais que cria, ele garante seu sustento  e vive de forma simples, com a promessa de jamais se aproximar das pessoas para que nunca corra o risco de que seu lado mau dê as caras. Ele inclusive não quer que os genes de seu pai que estão em seu DNA possam vir a criar alguém que seja um perigo para a sociedade no futuro.

Brynn e Cass se tornam cada vez mais próximos, e ela fica cada dia mais intrigada com o estilo de vida que ele leva, além de mais e mais atraída por essa pessoa de coração tão bom e generoso que vê nele. A medida em que eles não conseguem mais controlar seus sentimentos, Cass avisa: independente do que aconteça entre eles, Brynn deverá ir embora quando estiver curada, e nunca mais procurá-lo. Mas a verdade meus amigos, é que o coração de ninguém aceita planos  e avisos, ele simplesmente faz o que bem entende.

— Ah, Cass — murmuro, enquanto meus olhos cansados nublam com as lágrimas. — Quem disse que você deveria permanecer sem amor? Quem te fez acreditar que faria as mesmas escolhas do seu pai? E quem te disse que qualquer criança seria envenenada também?

Uma das histórias de amor mais lindas, puras e dolorosas que já conheci é vivida por Cass e Brynn. Aquele tipo de história em que faltam palavras, só sabemos sentir.

Este livro é um soco no estômago atrás do outro, principalmente no que está relacionado a trajetória de Cass. Foi doloroso ver que as pessoas não entendiam que ele era só uma criança na época que os crimes do pai vieram à tona, que ele era só um inocente neste mundo cruel e cheio de maldades. Tudo o que aconteceu na infância dele só refletiu na forma errônea em que ele passou a se ver, tentando até mesmo explicações científicas sobre ele ser bom ou não. Não tem como não amar Cass e querer protegê-lo de tudo e de todos.

Essa história emociona, machuca, nos faz querer arrancar os personagens do livro e abraçá-los , nos faz querer que o mundo e as pessoas não sejam tão cruéis. Passei praticamente todo o livro tentando encontrar uma saída para que Cass e Brynn pudessem ficar juntos e felizes para sempre. Morri de amores, sofri e chorei durante esta leitura.

E não posso finalizar essa resenha sem falar o quão linda ficou a edição deste livro, com o coração e título em alto relevo e brilhosos, além de todas as páginas terem uma imagem ao fundo representando a floresta. Algo bem trabalhado e caprichado, deixando a edição americana no chinelo.

E Editora Charme: pode lançar mais livros da Katy, porque com certeza ela está mais do que aprovada por todos que lerem “Sem amor”.

Ela é ar. É água. Sorrisos e suspiros suaves enquanto adormece em meus braços. Ela é calor. Ela é promessa e esperança. Ela é normalidade e companhia, meu talismã temporário contra a solidão. Ela se move como o ar ou a escuridão, me cercando, dentro de mim, do mundo e, ainda assim, pertencendo íntima e particularmente a mim. Ela é tudo que eu quero, mas não posso ter, algo mais e mais necessário à minha sobrevivência, o que significa que deixá-la ir irá me destruir. Sei disso. Mas, ainda assim, não posso desacelerar ou exigir menos.

 

Participe do comentário premiado de junho clicando aqui

 

Anúncios

8 comentários em “[RESENHA] “Sem amor”, de Katy Regnery por Editora Charme – @KatyRegnery @EditoraCharme

  1. Renata!
    Obrigada por me apresentar esse livro.
    Nossa! Quão sofrido deve ser viver anos isolados, sem conversar com ningué e ainda ter o estigma da genética paterna sobre ele.
    E ela, encontra a redenção justamente nos braços de uma pessoa totalmente improvável.
    Apesar de ser um livro dolorido, deve ser maravilhosa a leitura.
    “Nunca sei se quero descansar porque estou realmente cansada, ou se quero descansar para desistir. “ (Clarice Lispector)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JUNHO – 5 GANHADORES
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

  2. Renata já qro esse livro, que lindo, não conhecia ainda, me chamou mta atenção, parece trazer um enredo envolvente, adoro isso em uma leitura, vai para os desejados agora!
    Bjs!

  3. Oi Renata,
    Acho que lindo e dolorido reflete bem tudo o que esse casal vive não é? De certa forma dá para perceber como Cass tem um coração bom só pelo fato dele querer permanecer longe da humanidade, imagino que deve ter sido um trauma para uma criança ser culpada de tudo o que o pai passou. Pior é imaginar que isso é algo bem provável de acontecer não vida real :/
    A história parece mesmo linda, o sentimento que vai surgir, como eles vão passar por cima da dor e do luto que vivem, tudo! Eu não conhecia a autora, mas imagino que ela também vá me conquistar!
    Beijos

    1. Boa noite!
      Este é o tipo de livro que nos deixa sem palavras. É uma mistura de sentimentos sem fim.
      Bj

  4. Oi Rê, já tô pedindo esse livro de presente haha e ao mesmo tempo tô preparando o meu coração pra quando puder lê-lo ❤ Acho que essa deve ser uma história bem sofrida e trás uma perspectiva muito interessante, acho que nunca pensei muito sobre o lado dos familiares daqueles que cometem crimes e no quanto eles são afetados, claro que não tem culpa e fiquei com coração pequeninho já só de imaginar uma criança exposta a ódio e incompreensão. Linda resenha 😉

    1. Boa noite!
      Obrigada!
      Realmente, este livro me fez pensar na questão dos familiares dessas pessoas que cometem este tipo de atrocidades, o quanto devem sofrer.
      Bj

  5. Olá!
    Fala do coração é complicado, ele nunca nos escuta..kkkkk
    Amei o livro, tem uma premissa muito boa, a trama me deixou bem curiosa por essa situação deles e será que vão sair dessa? fica a pergunta né.. Só lendo pra saber!

    Tempos Literários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s