Resenha

[RESENHA] “Vida”, de Audrey Carlan por Verus Editora

Boa tarde!!!

Hoje vamos ao quarto livro da Série Trinity, e dessa vez a protagonista é Maria.

Com o epílogo do livro anterior, me vi fascinada ao imaginar o que viria neste livro, e ao ler a sinopse dele então… fui nas nuvens.

Mas… fui do céu ao inferno com este livro…

Confiram a resenha completa abaixo.

O quarto volume da série Trinity, da mesma autora de A garota do Calendário Maria De La Torre é uma sobrevivente. Seu passado foi de muito sangue e sacrifício. Hoje ela tem suas amigas e irmãs de alma ao lado, mas só Maria pode viver sua vida. A vida que ela escolheu. A mesma que uma pessoa do passado está tentando tirar. Elijah é o último homem com quem Maria deveria se relacionar. Ele é um caçador de recompensas sombrio e fora da lei — o exato oposto do homem que ela amou e perdeu, aquele que abriu mão de tudo por ela. O fato é que Elijah não é o tipo de homem que recua facilmente. Ele está acostumado a ter o que quer, e o que ele quer agora é a sedutora dançarina de cabelos negros. O tempo não está a favor de Maria e Elijah. Há uma nova ameaça à vida de Maria, uma que ela jamais pensou que teria de enfrentar novamente. E, dessa vez, é um caso de vida ou morte. Maria logo vai descobrir que as coisas que ela mais quer talvez sejam exatamente aquelas que têm o poder de destruí-la.

O luto é uma merda de sentimento sorrateiro que não dá para esconder ou exterminar. Ele penetra como um ninja, dia e noite, Pode até ser considerado um monstro invisível que, com suas garras, envolve o coração de uma pessoa na calada da noite. Você está sonhando com a paz, e em vez disso é avassalada por um sofrimento devastador

Chegou a hora de conhecermos melhor Maria De La Torre, umas das irmãs de alma de Gigi, que foi protagonista dos três livros anteriores.

Maria teve parte de sua história revelada nos livros anteriores. Ela, assim como Gigi, não é só uma sobrevivente, e sim uma guerreira. Vítima de um relacionamento abusivo e muito violento, ela conseguiu deixar este passado para trás e se dedicar a dança, sua grande paixão.

Em “Alma”, Maria sofreu uma grande perda, e fiquei muito triste com o que aconteceu. Agora, ela está tentando buscar forças pra seguir em frente, mas Elijah, um caçador de recompensas, surge em seu caminho, e tudo que ela achava certo cai por terra.

Mas, os problemas de Maria não acabam por aí, pois seu passado está de volta, e ela passa a correr muito perigo, mesmo com Elijah movendo céus e terra pra mantê-la em segurança.

Elijah é um destemido caçador de recompensas, que além de proteger Maria, fará de tudo para conquistá-la.

Com Eli eu nunca sei nada, não sei o que é em cima, embaixo, na frente ou atrás. Minhas emoções, minha libido e meu bom senso rodopiam como um vórtice ao redor de um homem que é tão familiar, e ao mesmo tempo não é.

Agora que a sessão spoiler começa, porque não consegui mesmo me expressar sem dar spoiler…

Depois de falar um pouco sobre a história, vou falar o que achei de tudo. Eu estava com as expectativas altíssimas pra esse livro, porque ele tinha tudo pra ser bem dramático, bem o estilo de que gosto. Mas me deparei com uma história sem pé e nem cabeça, onde me pergunto como que esse livro foi publicado, e o pior, como foi lançado fora de seu país de origem.

A autora pecou em muitas coisas, dando a impressão que estava mais preocupada em criar uma história erótica do que com a coerência.

Agora, imagine você descobrir no enterro de seu namorado que ele tem um irmão gêmeo, e você diante do túmulo dele se mostra mais atraída pelo cunhado que acabou de conhecer do que por seu falecido namorado. Já o gêmeo, começa ali mesmo a deixar claro que quer te levar pra cama. Achei tudo um absurdo, e olha que gosto muito de livros eróticos.

Isso tudo sem falar nas cartas que Tommaz deixou antes de morrer, em que ele praticamente manda o irmão e Maria se pegarem.

Não vou ficar dando uma de moralista aqui, mas não gostei da forma em que esse romance começou, sem falar na construção da história.

Acho Audrey uma autora super querida e atenciosa, e quem acompanha o blog deve lembrar dos meus surtos de tanto que amei a série A Garota do Calendário. Mas, sinto muita dor em dizer que esse livro não me desceu. Tive vontade de abandonar a leitura muitas vezes, e só cheguei a última página na esperança de que melhorasse.

A autora tinha uma baita história em mãos ao poder abordar a questão da violência doméstica, mas não soube aproveitá-la.

Vou ler o último livro da série, “Destino”, porque preciso saber do desfecho da história de Kat, e espero do fundo do meu coração que eu goste da história, e que Audrey não me decepcione novamente.

Participe do “Comentário Premiado” de abril clicando aqui

Anúncios

3 comentários em “[RESENHA] “Vida”, de Audrey Carlan por Verus Editora

  1. Olá Renata!
    Louca com essa resenha, eu li o vol 1 e fiquei maravilhada com a história, amei, já conhecia a escrita da autora em A Garota do Calendário – Janeiro, e amei, espero ler outras obras dela ou seja, terminar de ler as duas séries né…
    Bjs!

  2. Oi Renata,
    Eu acompanhei as resenhas dos livros da série, e mesmo gostando confesso que achei que o machismo prevaleceu em vários pontos, e com esse não foi diferente, só pelos pontos que você citou vemos que a história foi mal montada, infelizmente.
    Eu ainda quero ler, mais por curiosidade, só espero não me decepcionar tanto!
    Beijos

    1. Boa tarde!!
      Fiquei muito triste por eu não ter gostado da história 😦 Gosto muito da autora, mas acho que ela pecou muito nessa série, faltou a preocupação com a coerência.
      Bj

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s