Tag

[TAG] Quem sou eu… em 5 livros

Quando vi essa tag eu achei uma ótima maneira de fazer vocês me conhecerem um pouquinho mais além do que posto nas minhas resenhas.

Vi essa tag originalmente nos canais gringos, mas já sabia que tinha rolado uma adaptação. Quem traduziu foi a Natasha do Redemunhando (clique aqui).

O objetivo é responder a pergunta: 

Se você fosse ter que dizer para outra pessoa quem você é através de 5 livros, quais seriam?

Essa é uma missão bem complicada, tanto que a maioria das respostas que vi em vídeos foi os blogueiros e youtubers falando de seus livros preferidos, mas eu queria ir mais além e mostrar um pouquinho sobre a minha personalidade.  E também dizer Quem é a Lisse?

O primeiro livro nesse ranking seria Muito mais que uma princesa que foi o primeiro livro que eu lembro de favoritar e reler mais de quatro vezes; ele fica bem coladinho com Orgulho e Preconceito. São dois livros que tem estilos parecidos por ser de época, e que na verdade é meu gênero de leitura favorito.

Acho que como a maioria das pessoas talvez eu colocasse a Série Crepúsculo aqui com o único motivo de ter reascendido o meu amor pela leitura; mas muito antes disso eu já amava romances de banca, e o gênero de romances históricos me conquistou muito antes do que a saga vampiresca.

Jane Austen é uma das minhas autoras favoritas, mas existem muitas autoras contemporâneas que tem feito não só eu mas muitas leituras se apaixonar por esse estilo, como a Julia Quinn, Sarah McLean, Lisa Kleypas e outras.

 

Outra característica com a qual me identifico muito nos livros é quando tem personagens latinos. Química Perfeita foi o que me fez ir com tudo nesse estilo, fazendo com que eu me apaixonasse loucamente pelo Alex e também pelos outros irmãos Fuentes.

A autora Megan Maxwell por ser espanhola também acrescenta muito de sua cultura nos seus livros. Vai Sonhando! foi um dos que li e fiquei gamadinha, tanto por ser passar na Espanha como por ter jogador de futebol. Amor duplo!

E porque gosto tanto? Primeiro porque sou louca por idiomas. Talvez vocês já tenham visto como eu surto com livros de máfia italiana, com autoras que ambientam suas histórias no sul do Texas ou introduzem um sotaque em seus personagens. Porém, o espanhol foi o primeiro idioma que aprendi e me apaixonei, sempre digo que é o idioma do meu coração, pois é que mais me identifico e que fala com a minha alma. Amo demais!

Lembro do meu sentimento de felicidade quando li Lola e o garoto da casa ao lado e fiquei muito encantada com a protagonista que ama moda tanto quando eu.

Não sou uma expert no assunto, mas faz parte da minha profissão. Desde criança entendo um pouco de costura, pois cresci nesse meio; com uma mãe costureira não tive como fugir, e apesar de não ter sido minha formação profissional no Ensino Médio, acabou se tornando minha formação um pouco mais tarde.

Sou costureira e modelista e Lola desempenhou muito bem esse papel. Ela é muito ligada em moda e estilo e foi meu primeiro contato com uma protagonista um pouco parecida comigo.

Gostaria que mais autoras fizessem protagonistas assim!

Falar sobre esse livro de estréia da Rainbow Rowell é muito pessoal. Cath falou diretamente comigo. Ela é uma personagem introspectiva, tímida e muito focada nos seus gostos.

Fangirl foi como me olhar em um espelho e ver na Cath todas as dificuldade que ás vezes eu enfrentei – e enfrento. Sou muito tímida, calada e até fechada demais. Mas o amor dela por Simon Snow é a vida dela, e lembrei de como eu sempre fui e sempre serei muito fangirl.

Além do amor dela pelas fanfics. Mesmo que eu nunca tenha escrito algo assim, fiquei feliz por ter uma personagem que ama escrever e se vê fazendo parte de um mundo que nunca quer ver morrer.

Queria colocar nesse último tópico um assunto: amadurecimento pessoal. Sempre dentro do meu processo de leitura sempre procurei encontrar protagonistas que não precisavam ser parecidos comigo, mas que conseguissem me passar verdade e alguma lição. Nunca gostei de livros vazios, sempre espero extrair algo dos livros.

E aqui eu poderia incluir muitas autoras que amo, como a Sarah Dessen que tem livro jovens adultos que eu gostaria de ter lido quando era mais nova e poder ter me entendido mais; tem também a Simone Elkeles que conversa diretamente comigo em seus livros, ou a Elizabeth Scott. Todas autoras que escrevem jovem adulto. Me julguem!

Mas a autora que tem meu coração nesse sentido é a Amy Harmon. Essa mulher tem o poder de desfazer seu sentimentos em pedacinhos e deixar uma lição maravilhosa em cada um dos seus livros. Meu sonho é que a Verus lance A Different Blue

Participe do “Comentário Premiado” de abril clicando aqui

 

 

 

Anúncios

2 comentários em “[TAG] Quem sou eu… em 5 livros

  1. Oi Clarisse.
    Gostei da tag, me deu até vontade de responder, rs.
    Também já amava os romances de banca antes mesmo de Crepúsculo, mas não dá para negar que adoro ele!
    “Lola e o garoto da casa ao lado’ é um dos que mais quero ler, mesmo não sendo um livro tão recente achei ele um amorzinho, gostei dele estar em sua lista.
    Também gosto muito da Amy, apesar de suas histórias terem um lado que me deixam com o coração quebrado, amo seus finais e o amadurecimento de seus personagens!
    Beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s