Resenha

[RESENHA] “O Jogo de Amor/Ódio” de Sally Thorne por Universo dos Livros – @univdoslivros @Sally__Thorne

Aquele livro em que a adrenalina e a fofura andam de mãos dadas.

Sally Thorne foi a autora que mais ouvi falar no ano de 2017 no booktube gringo, então quando a UDL anunciou que ia publicar Hating Game não pude conter a alegria.

E o momento chegou. Vamos lá?

“Sally Thorne surge na cena literária apresentando um ambiente de trabalho hilário e sensual em uma comédia sobre aquela conhecida linhazinha tênue entre o amor e o ódio. Lucy Hutton e Joshua Templeman se odeiam. Não é desgostar. Não é tolerar. É odiar. E eles não têm nenhum problema em demonstrar esses sentimentos em uma série de manobras ritualísticas passivo-agressivas enquanto permanecem sentados um diante do outro, trabalhando como assistentes executivos de uma editora. Lucy não consegue entender a abordagem apática, rígida e meticulosa que Joshua adota ao realizar seu trabalho. Ele, por sua vez, vive desorientado com as roupas coloridas de Lucy, suas excentricidades e seu jeitinho Poliana de levar a vida. Diante da possibilidade de uma promoção, os dois travam uma guerra de egos e Lucy não recua quando o jogo final pode lhe custar o trabalho de seus sonhos. Enquanto isso, a tensão entre o casal segue fervendo, e agora a moça se dá conta de que talvez não sinta ódio por Joshua. E talvez ele também não sinta ódio por Lucy. Ou talvez esse seja só mais um jogo.”

AMAZON

Gamins e Bexley acabaram de se unir. E não pense que são duas pessoas, não não, são duas empresas editoriais que estavam á beira da falência e nos últimos minutos do segundo tempo conseguiram entrar em um acordo e se unir, trazendo á vida Bexley & Gamin. Agora com duas pessoas tomando á frente e dia após dia tentando sobreviver, é assim que Lucinda e Joshua precisam se aturar.

Ambos são assistentes executivos dos donos da companhia. Lucinda adora sua chefe, Helene; e Joshua é o ombro direito do Sr. Bexley, a quem Lucinda dá um apelido super carinho (você terá que ler para descobrir, ok?😂 😂 😂); e eles passam todo santo dia um de frente para o outro se aturando, tentando ser melhor que o outro e com muitas farpas no meio disso tudo.

“Sentado á minha frente está o assistente executivo do senhor Bexley. Seu capanga e servo. A segunda coisa, a coisa mais essencial que qualquer pessoa precisa saber a meu respeito é: eu odeio Joshua Templeman.”

Lucy é a personagem mais engraçada que eu já tive o prazer de conhecer, e olha que com certeza assim como eu, você também já deve ter lido vários livros com protagonista divertidas; mas Lucy está em um patamar tão alto que é difícil superá-la. Ela não tem vergonha de muitas coisas a não ser onde foi criada, é totalmente sem filtro e tem uma personalidade que é difícil não querer tê-la como amiga.

“Aqui está um fato: odiar alguém é desgastante.”

Mas Lucy tem essa coisa de odiar Joshua por vários motivos e a principal foi a fusão das empresas e como toda dinâmica mudou e sua melhor amiga perdeu o emprego e agora ela está sozinha nesse barco, então restou apenas odiá-lo com todas as forças.

Joshua é meticuloso com seu trabalho, suas roupas e seu jeito de ser e até de fazer suas anotações, coisa que Lucy observa atentamente. Ele também não é muito falante e não permite que Lucy o tire do sério, mas o fato é que ela sempre tenta fazer. No entanto, Josh é muito rápido e sagaz, deixando a interação deles ainda mais divertida.

“É isso que você pensa que nós dois fazemos? Flertar? Moranguinho, se nós dois estivéssemos flertando, você saberia.”

Teve momentos em que o jeito comedido do Josh me fez querer bater na cabeça dele, mas a dinâmica não demora muito a mudar. Os verdadeiros sentimentos da Lucy ficam logo claros e de um jeito muito bem feito pela autora esses personagens tornam-se tão especiais para mim, e também um para o outro, que eu estava como uma louca líder de torcida esperando pela próxima interação. E vou confessar que já faz muito MUITO tempo que não me sinto assim.

” – Onde fica o jogo de dardos com a minha cara bem no centro do alvo?
– Fica no quarto de visitas.”

Ir descobrindo um pouco mais da Lucy em cada capítulo me deixou com a sensação de realmente conhecê-la. Em como o pai dela fala do Josh de um jeito engraçado, ou o modo como Lucy e a mãe tem um relacionamento tão achegado, além das inseguranças da protagonista sobre perder o trabalho e o que fazer se isso acontecer a tornaram muito humana me fazendo querer consolar, rir, chorar ou apenas estar ao lado dela.

Já o Josh, UAU, um perfeito cavalheiro. Nenhuma de suas atitudes foram demasiadas ou inferiores, apenas na medida certa. Com seus próprios dissabores, ele é um personagem que também tem uma história para contar e que vamos entendendo pouco a pouco porque a personalidade dele não é extrovertida. Mas em nenhum momento quis que ele fosse diferente; era perfeito com seu jeitinho. Acho que fiquei um pouco apaixonada…

“Se eu achava que era viciada antes, o vício não passava de um enorme eufemismo. Quero ter uma overdose de Joshua.”

Li essa história em 1 dia. 1 DIA! E ainda não acredito, afinal esse livro tem 400 páginas, mas a história é tão fluída, engraçada e dinâmica narrada em primeira pessoa pela Lucy que não notei as páginas voando. Sally Thorne fez um excelente trabalho em me deixar ligada e desesperada por mais páginas e muito mais da química explosiva de Lucy & Josh.

Não sei se meu trabalho aqui ficou bem feito em persuadir você a ler O Jogo do Amor/Ódio, mas lembre que já estou indo reler e não é qualquer livro que me faz não querer fechá-lo e voltar para a primeira página.

 

Participe do “Comentário Premiado de Fevereiro” clicando aqui

 

 

Anúncios

9 comentários em “[RESENHA] “O Jogo de Amor/Ódio” de Sally Thorne por Universo dos Livros – @univdoslivros @Sally__Thorne

  1. Eu li esse livro e não dava muita coisa até porque por causa da capa que não é bem bonita mas eu adorei os protagonistas eram uma mistura de raiva com amor muito massa e eu adorei a história

    1. Essa capa tbm poderia ter ficado melhor, mas que bom que você não julgou pela capa. O conteúdo faz muito jus ❤ ❤ ❤

  2. Oii
    Não dá para negar que a história é clichê, mais deve ser uma delícia acompanhar esse casal que vive que nem gato e rato, uma comédia romântica perfeita.
    Pelo visto o livro tem várias cenas hots, e eu já tô doida pra saber como vai acabar a questão a imprensa, e torcendo pelo casal, rsrs. O enredo lembra um pouco 50 tons…
    Beijos

    1. Esse casal!!! ❤
      Leia Vitória, eles são demais.
      E não tem tanta cena hot assim, achei um livro na dosagem certa.

      Bjks

      1. Oi, então, eu li várias resenhas, e imaginei que teria mais cenas, maaas não me incomoda não ter, pelo contrário, assim o romance envolve ainda mais. 😘

  3. Oie!
    Esse livro tá lindo Clarisse, já está nos meus desejados aguardando uma oportunidade… Amo qdo a leitura flui e a gte consegue ler rapidinho, alguns livros funcionam assim cmg tbm, apenas um dia lendo e já dá pra ler outros ….
    Pelo que venho acompanhado a autora não deixou á desejar com o enredo, espero ler em breve.
    Bjs!

    1. Aline, tomara que você consiga lê-lo logo.
      Esse livro não deixou nada a desejar. Amei!

      Bjks e ótimas leituras pra ti

  4. Clarisse!
    Essa competição profissional só poderia dar em atração, não é mesmo?
    Fiquei bem interessada em fazer a leitura.
    Uma semana abençoada!
    “Acredite na justiça, mas não a que emana dos demais e sim na tua própria.” (Código Samurai)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA FEVEREIRO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s