Resenha

[RESENHA] “Dias Perfeitos”, de Raphael Montes por Companhia das Letras – @cialetras @montesraphael

Boa tarde!!

E estamos na penúltima semana do Mês do Horror, nem acredito que passou tão rápido. E para começarmos muito bem, a resenha de hoje não poderia ser outra que um nacional para simbolizar que temos autores muito bons em nossas terrinhas.

Em Dias Perfeitos, Téo é um jovem e solitário estudante de medicina que divide seu tempo entre cuidar da mãe paraplégica e dissecar cadáveres nas aulas de anatomia. Num churrasco a que vai com a mãe, contrariado, Téo conhece Clarice, uma jovem de espírito livre que sonha tornar-se roteirista de cinema. Clarice está escrevendo um road movie de nome ‘Dias perfeitos’. O texto ainda está cru, mas ela já sabe a história que quer contar – as desventuras de três amigas que viajam de carro pelo país em busca de experiências amorosas. Téo fica viciado em Clarice – quer desvendar aquela menina diferente de todas que conheceu. Começa, então, a se aproximar de forma insistente. Diante das seguidas negativas, opta por uma atitude extrema – desfere um golpe na cabeça dela e, ato contínuo, sequestra a garota. Elabora então um plano para conquistá-la – coloca-a sedada no banco carona de seu carro e inicia uma viagem pelas estradas do Rio de Janeiro – a mesma viagem feita pelas personagens do roteiro de Clarice. Passando por cenários oníricos, entre os quais um chalé em Teresópolis administrado por anões e uma praia deserta e paradisíaca em Ilha Grande, o casal estabelece uma rotina insólita – Téo a obriga a escrever a seu lado e está pronto para sedá-la ou prendê-la à menor tentativa de resistência. Clarice oscila entre momentos de desespero e resignação, nos quais corresponde aos delírios conjugais de seu sequestrador. O efeito é tão mais perturbador quanto maior a naturalidade de Téo. Ele fala com calma, planeja os atos com frieza e justifica suas decisões com lógica impecável.

Dias Perfeitos é meu primeiro contato com o jovem autor Raphael Montes, que já mostra seu brilhantismo e perspicácia ao escrever um romance sórdido e cheio de maquinações da mente humana – coisa esta, que nunca deixa de me fascinar.

O livro começa nos apresentando o estudante de medicina Teodoro, mais conhecido como Téo que poderia ter um futuro brilhante devido á sua grande inteligência. Porém, devido aos problemas psicológicos e comportamental, todo esse brilhantismo não o levam muito longe. Ou levam? Porque com apenas 20 anos, com seu jeito introvertido, mas tem como amiga uma cadáver indigente do anatômico da universidade que intitulou de Gertrudes.

Apesar do personagem morar com a mãe Patrícia, que é paraplégica, não possui afeto nem por ela, nem pelo cachorro Sansão e nem por ninguém. Tudo o que entendi do Téo é que ele é um ser incapaz de nutrir emoções, apesar de se considerar intelectualmente superior, mas parece que o mundo ao seu redor não existe. Até que alguém muda completamente sua atenção, e essa pessoa é a irreverente Clarice em um churrasco ao acompanhar a mãe cadeirante.

“Quem nunca se apaixonou sem ser correspondido? Quem não gostaria de mostrar que poderia ser diferente, que a história de amor poderia dar certo? Ele apenas fazia o que todos já tinham desejado fazer. Havia criado para si a chance de estar próximo de Clarice, de deixar que ela o conhecesse melhor antes do não definitivo.”

Nossa protagonista é um jovem falante, cheia de energia e que faz amizade fácil. E é assim que eles se aproximam. Papo vai, papo vem, e Téo se vê completamente encantado por essa mulher comunicativa e que tem projetos para o futuro; um desses é o roteiro inacabado de “Dias Perfeitos”. Porém, Clarice não poderia imaginar que a negativa em se envolver com Téo, que era aparentemente inofensivo, desencadearia acontecimentos que apenas seu roteiro descrevia.

“Téo gostou de seus bons modos e concordou. […] Esticou o braço e abriu o porta-luvas, pois Clarice tinha as mãos amarradas para trás, ao redor do banco.”

Dias Perfeitos se torna uma sucessão de eventos estranhos. Apesar de o texto ser narrado em terceira pessoa, a voz narrativa reproduz claramente os pensamentos confusos de Téo e parece que o leitor está na cena vendo tudo tão claramente que chega a ser mais mórbido do que qualquer outra coisa. Em alguns momentos durante a leitura eu precisei fechar o livro e pensar com mais clareza; em outros, eu simplesmente queria me afastar da psicopatia do Téo e do sofrimento da Clarice. Foi perturbador. Mas de forma nenhum foi ruim. Essa leitura deixou mais claro que tipo de leitura eu gosto. E amo a mente humana e o que ela consegue produzir, mesmo se não for belo.

“Ela o havia beijado naquele churrasco. Por que parar? Do beijo, furtado e furtivo, ele havia se tornado refém. Não era o invasor, mas o invadido; não queria só desvendar, mas ser desvendado. Ele amava Clarice, admitiu. Precisava ser amado.”

Téo é um personagem difícil de compreender e Clarice, sua vítima, é isso: uma vítima. E em vários momentos eu queria que ela conseguisse se ajudar ou alguém que fizesse isso por ela, mas era impossível. De alguma forma, a considerei um pouco ingênua apesar de toda sua personalidade ativa.

O livro é um thriller policial digno de ser um best-seller internacional, e não é á toa que esse livro já foi traduzido para 10 línguas diferentes (espanhol, inglês, francês, dinamarquês, italiano, turco, chinês, tcheco, polonês, e alemão – essas foram as que constavam no Goodreads), mostrando assim que o autor não deixou dúvidas de seu brilhantismo. Dias Perfeitos é viciante, tem um ritmo maravilhoso e é ousado de um jeito que não consegue parar até chegar á última página. O final é surpreendente. Talvez deixe alguns decepcionados e outros nem tanto. É um final aberto á discussões e te deixa intrigado. Demorei um bom tempo a me decidir se tinha gostado ou não, mas é intrigante e faz o leitor fechar o livro e ainda continuar pensando nos personagens e acontecimentos; sou até capaz de dizer que fiquei pensando depois do fim…

Fiquei muito impressionada e espero gostar de outros livros do autor tanto como foi com “Dias Perfeitos”.

Confira o booktrailer e vá ler pois tenho certeza que você não vai se arrepender. Mas se já leu, me conte o que achou, vou adorar saber. Beijos.

Participe do “Comentário Premiado de Outubro” clicando aqui 

Anúncios

8 comentários em “[RESENHA] “Dias Perfeitos”, de Raphael Montes por Companhia das Letras – @cialetras @montesraphael

  1. Oi Clarisse…..
    Não li ainda , mas essa historia me deixou muito intrigada…..😬
    Adorei a resenha…..💗💗
    E esse Teo em……..me deu vontade de ler so pra saber mas sobre ele……..fiquei curiosa com esse final.😉

    1. Oie Carla, o livro é muito interessante.
      Obg por ter gostado.
      Deveria ler. É um livro incrível.

      Ótimas leituras

  2. Clarisse!
    O Raphael vem se destacando no estilo thriller psicológico/terror. Já li outro livro dele e gostei muito.
    Deve ser sufocante mesmo ver as atitudes de um protagonista dde mente doentia e que sequestra uma garota pensando em ter um relacionamento com ela, além de preferir os cadáveres como amigos…
    Fiquei curiosa por saber o que ela sentia por ele?!…
    Semaninha de muita luz e paz!
    “Todo o nosso saber se reduz a isto: renunciar à nossa existência para podermos existir.” (Johann Goethe)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

  3. Oi Clarisse, fico feliz por ter um autor nacional despontando nesse gênero mesmo ele não sendo o meu tipo preferido de história (tô ficando repetitiva haha). Achei a premissa interessante e intrigante afinal não é sempre que somos transportados para a mente do vilão-protagonista e acho que a leitura deve angustiante e revoltante em alguns momentos. Não sei se me arriscaria nessa história pois acho que teria dificuldade pra aceitar a mentalidade de Téo, mas achei a resenha muito boa e acho que o Rapahel merece o sucesso que ele vem conseguindo 😉

    1. Oie Lili, é normal não gostar.
      Esse especial é para todo mundo pelo menos ler e se um dia sentir vontade vão lembrar que já viram em algum lugar rs
      O livro é interessante sim.

      Mil beijokas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s