Resenha

[RESENHA] “O silêncio das águas”, de Brittainy C. Cherry por Editora Record – @BrittainyCherry @editorarecord

Boa tarde!!!

Hoje vamos falar sobre o mais recente lançamento de Brittainy C. Cherry aqui no Brasil.

“O silêncio das águas” traz mais uma história forte e dramática, ao mesmo tempo em que nos faz acompanhar um amor mais puro que as águas mais cristalinas.

Da autora de O ar que ele respira e A chama dentro de nós, uma história de amor que precisará vencer todos os obstáculos. Quando a pequena Maggie presencia uma cena terrível, sua vida muda por completo. A menina alegre que tem uma paixonite por Brooks, o melhor amigo de seu irmão, sofre um trauma tão grande que acaba perdendo a voz. Sem saber como lidar com o problema, sua família procura ajuda, mas nenhum tratamento vai adiante. Ao longo dos anos, Maggie aprende a conviver com os ataques de pânico e, sem conseguir sair de casa, encontra refúgio nos livros. A única pessoa capaz de compreendê-la é Brooks, que permanece sempre junto dela. A cumplicidade na infância se transforma em amizade na adolescência, até que um dia eles não conseguem mais negar o amor que sentem um pelo outro. Mas será que o forte sentimento que os une poderá resistir aos fantasmas do passado e a um acontecimento inesperado, que os forçará a navegar por caminhos diferentes?

Quando duas almas solitárias se encontravam, elas se apoiavam uma na outra, não importava o que acontecesse.

Brittainy C. Cherry é uma autora que conquista o leitor com suas histórias emotivas, em que seus personagens buscam de alguma forma uma superação.
Este livro começa com um relato da autora sobre algo que aconteceu em sua infância, sobre o bullying que sofria, os traumas que isso lhe causou e a forma em que ela conseguiu superar tudo isso. Só aí já me vi com lágrimas transbordando dos olhos. Mas fiquei feliz em ver que Brittainy conseguiu vencer tudo isso.
Neste livro nós acompanhamos a história de Maggie e Brooks, sua trajetória da infância, adolescência e vida adulta.
Maggie é uma criança alegre, esperta e bastante falante. Aos seis anos de idade se muda com o pai para a casa da nova esposa dele, Katie, e lá é recebida de braços abertos não só por ela como por seus filhos Calvin e Cheryl. A relação de Maggie com o pai é algo lindo de se ver, a forma em que se tratam e o amor que sentem um pelo outro foi muito bem retratado ao longo da história.
E é aí, aos seis anos que Maggie conhece Brooks, o melhor amigo de Calvin, e aos dez anos de idade já está caidinha por ele, tanto que decide que devem se casar. Já Brooks está naquela fase em que odeia as meninas, e tudo que mais quer é ficar longe da voz irritante de Maggie.

Ela precisava que alguém entrasse nas lembranças dela e apagasse as águas escuras nas quais ela nadava todos os dias.

Até este ponto a história vai bem, chegando a ser engraçadinha e fofa, mas… Maggie presencia algo terrível às margens do rio próximo a sua casa, e o trauma é tão grande que aquela criança que citei lá no início deixa de existir, dando lugar à uma Maggie muda e incapaz de pôr os pés para fora de casa, além de constantes pesadelos e ataques de pânico.
Brooks se mantém pelos próximos oito anos visitando Maggie diariamente, e vê-lo é o ponto alto de seu dia.
O amor dos personagens vai crescendo à ponto de não conseguirem se manter afastados, e contra todas as probabilidades se rendem à ele.

O amor não vinha com explicações. Ele fluía das pessoas apenas com a esperança como fio condutor. Não havia uma lista de regras a serem seguidas para que ele se mantivesse vivo. Não havia instruções para mantê-lo puro. Ele simplesmente aparecia de modo sereno e implorava para que não o deixassem escapulir por entre os dedos.

O problema disso que mudo a vida de Maggie, é que sua família feliz também muda, e enquanto alguns tentam sempre apoiá-la, outros não conseguem entender o que ela vem passando por todos esses anos.
Entre os personagens secundários que se destacam está Cheryl, que foi capaz de despertar TODOS os tipos de sentimentos em mim, então preparem-se para odiá-la e amá-la 😉 Outra que se destaca é a ranzinza Sra Boone.

Às vezes, as palavras eram mais vazias que o silêncio.

O livro é escrito em primeira pessoa, com capítulos intercalados entre a visão de Maggie e Brooks, e só posso dizer a você que senti e vivi cada sentimento deles: seu medos, traumas, tristezas, sonhos, alegrias e principalmente o amor que sentiam um pelo outro. Mas, como todos sabem isso é algo que Brittainy consegue fazer com maestria.
Sobre o amor dos protagonistas, vou dizer que foi uma verdadeira montanha-russa, assim como os demais livros da série. E uma coisa que Brittainy leva a sério em seus livros é que nada está tão ruim que não possa piorar, mas vou deixar isso quieto porque é spoiler de um dos últimos desfechos do livro.

Era libertados compartilhar sentimentos tão intensos com alguém que os sentia da mesma forma. Era naqueles momentos que eu percebia que aprendia mais sobre ela. Era naqueles momentos que eu aprendia mais sobre mim.

Me senti totalmente conectada com Maggie, me vi compadecida com tudo que ela viveu ao longo dos anos, ao mesmo tempo em que admirava sua força de vontade para tentar superar seus traumas. Além disso, Maggie é uma verdadeira devoradora de livros, e incentivada pelo pai lê mais e mais a cada dia.
Brooks pra mim foi o melhor protagonista da série até agora (perdão Pluto!). Fiel e apaixonado, me conquistou logo de cara com seu amor por Maggie e pela música.
Mesmo com uma família que vai desmoronando ao longo da história, Brittainy deu uma linda lição de lealdade e amor em se tratando disso.

Eu não sabia que era possível ouvir tão claramente a voz de alguém em silêncio.

Mesmo sento o terceiro livro de uma série, “O silêncio das águas” pode ser lido sem conhecer seus dois antecessores, pois nenhuma história tem ligação entre si. Outra coisa que a autora falou um pouco foi sobre relacionamentos abusivos, em como a vítima sempre acha que teve culpa pela agressão que sofreu.

Todo mundo tem uma parte de si que escolhe silenciar.

Uma coisa que não gosto é de resenhas grandes, mas essa está ficando enorme, além disso, os quotes estão sendo um problema, porque marquei vários hahaha
Já falei aqui antes e repito que quanto mais eu gosto de um livro mais difícil é fazer a resenha dele, e foi assim com esse livro, com tantas emoções a flor da pele está difícil até mesmo de eu me fazer entender, mas posso afirmar que amei este livro, e que o considero o melhor livro da autora que já li (perdão Sr Daniels!!). Brittainy C. Cherry tem o dom de emocionar com suas palavras, e só tenho a agradecer por ela jamais ter calado sua voz.
O próximo e último livro da série (chorando aqui) se chama “A força que nos atrai”, já encontra-se em pré-venda e adivinhem: JÁ COMPREI 🙂

– Você me promete o mesmo tipo de amor que li nos livros?
Ele nesou com a cabeça, bocejando. Seus braços envolveram meu corpo, puxando-me para um abraço, e me afundei no calor dele.
– Não Maggie May. Prometo muito mais que isso.

Sorri, caminhando até ele. O que Brooks não sabia era que ele era a maior aventura da minha vida. Ele era minha jornada favorita, a âncora que sempre me levaria para casa.

Participe do “Comentário Premiado de Outubro” clicando aqui 

 

 

Anúncios

8 comentários em “[RESENHA] “O silêncio das águas”, de Brittainy C. Cherry por Editora Record – @BrittainyCherry @editorarecord

    1. Boa tarde!!!
      A história é linda mesmo, e lembra “Mil beijos de garoto” porque mexe bastante com nosso emocional.
      Livro mais que recomendado.
      Bj

  1. Renata!
    Como diz meu amado Lulu Santos:”Não existiria som, se não…houvesse o silêncio” e é bem isso nesse livro que parece intenso, carregados de marolas e de muito amor, apesar dos tsunâmis e dos momentos de calmaria.
    Adorei!
    “É melhor saber coisas inúteis do que não saber nada.” (Sêneca)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    1. Boa tarde!!!
      Livro lindo, que deixa cada emoção a flor da pele. Ainda estou suspirando por ele.
      Bj

  2. Ah que resenha linda, o meu tá a caminho e quando chegar deve furar fila pois eu amo essa série e pela resenha já deu pra perceber que essa história é daquelas que são verdadeiras montanhas-russas de emoções 🙂 Já criei empatia pela protagonista e quero muito ler essa história também 😉

    1. Boa tarde!!!
      Prepara o coração Lili! Tô encantada, apaixonada por esse livro!
      Muito linda a história e com certeza merece furar a fila de leitura.
      Bj

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s