Resenha

[RESENHA] “O problema do para sempre”, de Jennifer L. Armentrout por Galera Record – @JLArmentrout @galerarecord

Boa tarde!!!

Hoje a resenha de um livro com personagens que tentam superar seu passado.

Veja abaixo o que achei de “O problema do para sempre” 😉

Mallory viveu muito tempo em silêncio. Mas o destino lhe reserva um novo desafio. E ela percebe que está na hora de encontrar a própria voz 

Já na infância, Mallory Dodge percebeu que só poderia sobreviver se ficasse calada. Teve que aprender a ficar o mais quieta possível. Aprendeu a passar despercebida. A se esconder. Mas agora, após ter sido adotada por pais amorosos e dedicados, ela precisa enfrentar um novo desafio: sobreviver ao último ano do Ensino Médio numa escola de verdade. O que Mallory não imaginava é que logo no primeiro dia de aula daria de cara com um velho amigo que não via desde criança, quando viviam juntos no abrigo. E começa a notar que não é a única que guarda cicatrizes do passado, além de uma paixão adormecida e inevitável.

Ele havia prometido que estaria ao meu lado para sempre. Mas eu acreditava que havia dois tipos de para sempre.

O tipo bom.

E o tipo ruim. 

Ainda não havia lido nada da autora Jennifer L. Armentrout, mas quando vi a sinopse deste livro, ele já me despertou a vontade de conhecê-lo. Afinal, quem acompanha o blog sabe que leio de tudo um pouco, gosto de vários gêneros, mas tenho uma queda ENORME por personagens quebradinhos 🙂

Neste livro somos apresentados a Mallory, uma adolescente que já sofreu muito para sua pouca idade. Durante anos ela viveu com um casal que a maltratava de várias formas, desde físicas a deixá-la com fome, fome daquelas de doer o estômago. Mallory conseguia escapar da maioria das surras graças a Rider, um garoto que também morava neste “lar temporário”.

Quatro anos atrás uma tragédia aconteceu, e Mallory e Rider foram separados, sem nenhum saber onde o outro estava. Essa tragédia, assim como alguns fatos da infância de Mallory e Rider, são contados através de flashbacks.

Depois deste acontecimento, Mallory foi adotada por Carl e Rosa, um casal de médicos que dá todo amor e apoio a jovem, além quererem que ela consiga superar seu passado marcado por muita dor.

Mas, chegou a hora de Mallory sair de seu casulo, pois depois de quatro anos estudando em casa, ela frequentará o último ano do ensino médio em uma escola pública, como a maioria dos jovens de sua idade. E já no primeiro dia de aula, Mallory e Rider se reencontram.

Meu peito se apertou, e eu olhei para o asfalto molhado de óleo. Aqui, mas meio ausente. Existindo, mas não vivendo. Eu conhecia o sentimento. Eu o experimentara durante muitos anos.

Mallory ainda luta contra seus traumas, e um deles é ela não conseguir falar com a maioria das pessoas. Isso, porque ela teve de aprender a ser silenciosa para escapar das surras do antigo casal que tinha sua tutela.

A cada palavra que Mallory troca com alguém é uma vitória para ela, e foi impossível que não me sentisse tocada com isso.

Embora tenha se passado alguns anos, a amizade e cumplicidade entre Mallory e Rider continua a mesma, ao mesmo tempo em que acompanhamos um amor nascer.

Rider tinha dito que nada é para sempre, mas algumas coisas, algumas cicatrizes, são profundas demais para desaparecer.

Durante esses anos, Rider passou em um orfanato, e hoje vive em um novo lar temporário, em que mesmo a responsável por ele não ter muitas condições financeiras é completamente diferente do lugar onde cresceu ao lado de Mallory.

Rider não tem muitas perspectivas para o futuro, mas está sempre buscando uma melhor condição de vida. Além disso ele é aquele tipo de personagem que se torna um heróis a meus olhos, afinal tenta esconder sua dor para ajudar e proteger todos aqueles que ama.

É uma história cheia de altos e baixos, que mostra as dificuldades de uma adolescente em superar seu medos. Fala também sobre a diferença entre classes sociais e a forma como alguns jovens são atraídos para o mundo do crime.

Nós todos acreditamos ter a garantia de que as coisas que amamos vão durar para sempre. Mas o problema do para sempre é que ele realmente não existe.

O livro é escrito em primeira pessoa sob o ponto de vista de Mallory. Em alguns momentos a história chega a ser monótona, mas nem por isso me senti menos emocionada com a história de Mallory e Rider.

Gostei muito deste livro, pois ele traz vários acontecimentos marcantes para a vida de seus personagens. É aquele tipo de livro que deixa com uma baita ressaca literária, e que com certeza Mallory e Rider ficarão marcados na mente de quem os conhece.

Participe do “Comentário Premiado de Agosto” clicando aqui

Anúncios

10 comentários em “[RESENHA] “O problema do para sempre”, de Jennifer L. Armentrout por Galera Record – @JLArmentrout @galerarecord

  1. Oi Renata…..boa noite…..
    Amei esse titulo….❤❤❤
    Ja tava quase chorando so com a sinopse…😢
    Tam adoro personagens que estão……Quebrados pela vida que tiveram e tem que superar…..para serem felizes!🌸

    1. Boa tarde!!!
      Também me apaixonei por esse título, capa, sinopse, história… Enfim, tá tudo muito lindo!
      Bj

  2. Olá!
    Não tinha visto esse livro e nem conhecia. Fiquei bastante impactada com a historia, porque nela vemos que faz parte de uma historia real, se parar para pensar, isso passa na sociedade mesmo que não sabemos mas em algum momento no mundo alguém passa por isso. A historia realmente me deixou triste e com certeza que se eu leria, chorarias litros. Espero poder ter a oportunidade de ler ele.

    1. Boa noite!!!
      É uma história forte, mas a forma sensível em que é contada é que torna tudo ainda mais tocante.
      Espero que leia esse livro e goste dele.
      Bj

  3. Ainda não tinha visto esse livro!
    Achei bem legal a sinopse e a sua resenha está muito boa também!
    Gosto muito de livros adolescentes e que tem problemas do passado que terão que superar para poder seguir em frente!
    Adorei a capa, é muito bonita.

    1. Boa trade!!!
      Também adoro livros com adolescentes 🙂
      Amei a escrita desta autora e recomendo este livro.
      Bj

  4. Oi Renata, já li algumas histórias da Jennifer e gostei muito e também tenho um fraco por personagens quebrados, desses que queremos colocar debaixo da “asa” pra proteger e tô super interessada nesse livro.
    Eu gosto de narrações duplas e acho que vou sentir falta disse nesse livro, e até crédito as partes que você achou monótona a isso, pois nem li mas já quero ver a perspectiva dele também, ainda assim a história parece ser boa e espero mais a frente poder lê-la também.

    1. Boa tarde!!!
      Meu sonho: a visão de Rider para todos os acontecimentos deste livro! Realmente faltou isso, embora ele tenha sido um personagem bem fácil de entender, gosto muito de conhecer os dois lados da moeda.
      Bj

  5. Renata!
    Essa questão do abuso psicológico e físico nas crianças é um caso sério mesmo.
    Fico feliz em ver que a autora soube abordar o tema de forma mais crível e mostrando que o amor de todas as formas, pode ajudar a melhorar os traumas que são deixados.
    Deve ser um livro doloroso, ao mesmo tempo, enriquecedor.
    Gostaria de ler.
    “Deus com Sua infinita Sabedoria, escondeu o Inferno no meio do Paraíso para que nós sempre estivéssemos atentos.” (Paulo Coelho)
    Cheirinhos
    Rudy

    1. Boa tarde!!!
      Infelizmente os abusos as crianças existe e muito por aí. A autora soube abordar bem o tema, principalmente ao mostrar que esses traumas permanecem por um bom tempo.
      Bj

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s