Resenha

[RESENHA] “Marketing & Amor” de Rebeca Romero

Olá galerinha!! Boa tarde!

Hoje temos uma resenha nacional que tem alguns pontos à favor e outros contra.

Querem conferir?

 

“Margot O’Hara é uma das empreendedoras mais bem-sucedidas do país e tem sua vida inteiramente como ela sonhou. Vendo mais uma oportunidade, ela aceita a proposta que a família Renard lhe apresenta: uma parceria para que ela ajude a salvar uma agência de relacionamentos que está propensa a falir.

Elijah Renard, por outro lado, está infeliz com seu trabalho. Mas quando passa a conhecer Margot, ele começa a sentir uma chance de reatar seu interesse nos negócios da família.

Seguindo esse caminho de marketing e empreendedorismo, Margot e Elijah iniciam um vínculo que vai além do digital.”

AMAZON

 

Marketing & Amor foi um livro que conheci por causa do contato que a autora fez comigo pelo Goodreads, e como a lista de leitura estava grande, esperei um pouquinho até consegui pegar nele.

O primeiro volume da série Empire State traz Margot e Elijah como protagonistas de um romance delicado com uma ambientação em Nova York.

Como uma das empreendedoras mais bem sucedida e conhecida, Margot O’Hara tem a vida que sempre sonhou e ainda fazendo aquilo que ama. E mais uma oportunidade bate à porta quando a família Renard entra em contato com uma proposta irrecusável.

O patriarca da família Renard tem como profissão comprar empresas que estão falindo e as ajudar a se reerguer. E a última empresa comprada foi uma agência de relacionamentos, que para Elijah Renard, não faz nenhum sentido o pai fazer isso. Não é que não confie no instinto do pai para negócios, mas para ele o trabalho não faz mais sentido como antes. Mas conhecer Margot e seus pensamentos sobre negócios e a vida, ajudará Elijah a retomar seu caminho.

Primeiro de tudo: amei a proposta do livro. Achei o plot muito inteligente e nunca vi marketing e empreendedorismo sendo abordados de uma forma tão divertida e fácil de entender. Além do tema ser a parceria entre duas empresas e não a rivalidade delas. Um assunto muito atual visto que estamos cercados pela era digital.

 

“Eu costumo classificar meu pai como um viciado em comprar empresas. Ele acha que comprar empresas que estão propensas a falir é como salvar pessoas. Ele deveria ter se tornado médico, então. Pelo menos médicos salvam pessoas.”

 

Outra coisa que amei durante a leitura foi a ambientação. Já conheci muitas autoras que tem muita dificuldade em dar vida ao redor dos personagens, mas esse não era um problema que a Rebecca passou. Nova York é muito bem descrito e me senti realmente lá, andando e conhecendo a cidade junto com os personagens. E toda a vibe do livro está na capa, acredite quando digo isso, depois percebi que a capa faz muito sentido, que combina bem o enredo.

Mas teve coisa que realmente foi um problema para mim durante a leitura. A principal ser o exagero em expressões em inglês que achei desnecessário pois a autora achou isso essencial de alguma forma que não entendo, porque além do livro já estar bem ambientado e o leitor saber que estavam em outro país. Acho que se fosse para ser bombardeada por expressões em inglês, eu pegaria um livro nesse idioma, e não estaria dando atenção a um autor nacional que deveria se esforçar mais em tornar o texto mais natural possível no nosso idioma. Substituir tais termos não ia tornar as frases ruins ou desmerecer o trabalho que a autora tinha feito.

Esse é um assunto longo… Infelizmente acho que isso é algo que muitos autores pecam ao colocar frases ou trechos de músicas que por mais que falem bem ao enredo, muitas vezes é algo que o leitor não vai dar atenção (ou por não conhecer a música ou frase, ou talvez por ter uma barreira com o idioma). Por mais que para mim não seja um problema hoje ler livros em inglês, lembro da época que era e por várias vezes os abandonava por topar com frases em que me sentia empacada.

“Marketing & Amor” também é uma leitura cheia de cultura pop e por vezes trás à tona o feminismo como tema. Não é à toa que o livro é permeado por quatro personagens femininas que tem voz própria durante a leitura, cheias de atitudes e bem decididas. No entanto, gostaria de ter visto um pouco mais de humanidade na Margot, pois a personalidade dela de feminista, dona de si e bem sucedida poderia ter sido mais abordada com um pouco mais de sentimento. Mesmo que ela não tivesse isso dentro de si, mas ser mais empática também funcionaria. Ela era muito perfeita. Tal pessoa não existe!

 

“Porque a meta dela não é somente ganhar dinheiro. É ajudar outros a ganharem também.”

 

O romance é do tipo que leva seu tempo para surgir, mas quando acontece é tão bonito. Gostei muito disso, de cada um saber seus limites, ou não se verem de uma vez loucamente apaixonados de modo a não poderem esperar o tempo certo para darem o primeiro beijo, dar as mãos ou tomar algum passo seguinte. Elijah é um ótimo personagem masculino, que tem suas preocupações e desejos que por vezes não o deixa muito satisfeito, mas é interessante vê-lo conhecendo mais sobre si mesmo e lidando com suas dificuldades.

Gostei muito da Rebecca Romero ter trago um casal opostos mas que conseguem falar a mesma língua. Além de tirar o esteriótipo de que é sempre a mulher que tem mais dificuldades emocionais, que o homem é sempre durão. Elijah é um homem que é forte mas que definitivamente também tem suas mazelas.

 

“- Confesso que não esperava muito senso de humor em você
– Eu não pareço muito profundo, não é?
– Não. Mas eu vejo potencial em ser.”

 

E por último outra coisa que poderia ter sido retirada são as cenas de sexo. Elas não são ruins, mas se não existisse não teria sentido falta, pois a Rebecca fez os sentimentos dos personagens serem tão críveis que o passo seguinte entre eles não me importava. As palavras que a autora usou, os sentimentos, as cenas juntos foram suficientes para eu perceber o como eles gostavam.

Para explicar melhor, fazia tempo que eu não suspirava numa cena de beijo. Acho que um autor que consegue fazer isso é capaz de atingir o leitor de outras formas que não seja a sexual. É capaz de ir mais fundo e fazer seus personagens falarem sobre assuntos interessantes, rirem de coisas bobas, e fazer o leitor se sentir parte da história. Sinceramente, achei que a autora deveria navegar por águas mais juvenis, talvez um enredo mais jovem adulto e conseguiria transmitir sentimentos muito importantes. Lembrei muito da Sarah Dessen, Katie West e da Morgan Matson enquanto lia esse livro.

 

“Mas eu definitivamente senti algo diferente no nosso beijo. Algo especial. Eu estava esperando algo carnal e veio algo emotivo junto.”

 

Não sei se quero ler o segundo pois não senti nada em relação aos próximos personagens. A autora apenas deixou uma brecha de que esses dois personagens teriam um relacionamento, mas não conseguiu me instigar a esperar por eles… ou não desenvolveu uma base para que o leitor estivesse ansioso pelo próximo volume.

Se você quiser conferir essa leitura, o livro está disponível dentro do plano do Kindle Unlimited. Aproveitem e me contem o que acharam ok?

 

Participe do “Comentário Premiado de Julho” clicando aqui.

Anúncios

9 comentários em “[RESENHA] “Marketing & Amor” de Rebeca Romero

  1. Olá!
    Gostei da trama, da capa do livro e mostrou ter uma boa leitura, mas não me deixou muito cativada para ler. A forma de como você falou da personagem por ser muito feminista, não demonstrar sentimentos foi algo que me perguntei se a autora criou uma mulher perfeita na imaginação?! Mas tem uma ótima trama, tem um ótimo romance coisas que amo bastante e então não sei se leria mas quem sabe mas a frente.

  2. Oi Clarisse!
    Eu conheço a autora através do facebook. Ela é da minha cidade. Não curti muito a apresentação que ela fez do livro pra mim. Eu não consegui terminar de ler o livro porque a história não tocou e me incentivou a continuar. Concordo com você, muitas expressões (desnecessárias e inconvenientes) em inglês. Não sei se eu voltarei a ler, mas provavelmente não. Não senti conexão com nada :/ Queria que a sensação tivesse sido diferente.

    1. Oie Nayane, é bom saber que alguém tem uma opinião parecida com a minha.
      Pois todas as avaliações que vi foram boas. Acho tão estranho quando isso acontece.
      Mas entendo, gostos são diferentes né.
      Bjks linda, boas leituras

  3. Oi meninas……esse livro tem temas bem interessantes mesmo…..concerteza também nunca vi temas relacionados a relaçao de empresas e mercado e ainda nascer amor nessa parceria…..linda história!

  4. Clarisse!
    Acho salutar sempre poder conhecer novos autores nacionais, o que não entendo é porque alguns insistem em ambientar seus livros em outros países?!… Nosso país é tão rico, tem tantos lugares excepcionais, por que não ambientar seus romances neles? Fato que para mim não é positivo, e além disso, ainda trazer expressões excessivas do outro idioma. Dá a entender que todo mundo entende o que está sendo dito, o que por vezes não é verdade.
    Agora gostei de inserir o mundo empresarial, de falar sobre o feminismo e de ser um romance interessante, acredito que por aí, daria para fazer a leitura.
    Um maravilhoso final de semana!
    “Não saber é o que torna nossa vida possível.” (Lya Luft)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

  5. Amo a literatura nacional, tanto quanto amo Nova York, e por isso quando vi que havia juntado as duas coisas juntas fiquei entusiasmada. Ainda não conhecia esta obra, e por isso me surpreendi com sua resenha, a autora construiu uma estória muito bonita, com temas diferenciados, e incomum do que tenho costume de ler, e com uma escrita de fácil entendimento. Uma pena que tenha incluído tantos termos inglês, o que talvez tenha sido desnecessário.

    Participe do TOP COMENTARISTA de Julho, para participar e concorrer aos livros “O Casal que mora ao lado” e “Paris para um e outros contos”.
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    1. Oie Iana!!
      Sim, leia se gostou desses dois temas juntos. A escrita da Rebecca é muito gostosinha, parece uma sessão da tarde bem feminista.

      Bjks e boas leituras

  6. Oi Clarisse, gostei da resenha, não conhecia o livro e achei a ideia interessante, a capa bem bonita e pela resenha deu pra perceber que há mais pontos positivos que negativos e se a autora conseguiu dar uma aura de magia a cena de um beijo, deve valer a pena ler e tirar as próprias conclusões.Boa resenha 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s