Resenha

[RESENHA] “Carl” (Série Guarda-Costas – Livro 3) de Mayjo por @AmazonBR – @Mayjo81

Boa tarde!!

Hoje tem continuação de série e de autora nacional. Vem conferir esse romance lindo!

Carl O’Neal nunca esqueceu a mulher que o abandonou quando a carreira como pianista se tornou prioridade para ela. Ser posto em segundo plano transformou-o em um homem sério e cínico com relação ao amor. Quando Samantha sofre um acidente com consequências trágicas, Carl é levado outra vez à porta da ex-namorada que nunca conseguiu esquecer. Cuidar do bem estar dela é doloroso e, ao mesmo tempo, trás de volta lembranças que pensava estar há muito tempo esquecidas. Mas a culpa o faz engolir seu orgulho e assume, mesmo ela não querendo, sua segurança. Afinal, ele tinha sido o causador do acidente! Uma história de amor, ódio, arrependimento, mágoa, mas acima de tudo, perdão e segundas chances. Quando o amor é sublime e pleno nem o tempo, distância ou tragédia são capazes de acabar com esse sentimento.
Terceiro livro da série guarda-costa, encantou milhares de leitoras, com uma pegada diferente dos dois primeiros volumes.

Carl é o terceiro livro da Série Guarda-Costas que teve seu relacionamento na semana passada. E como estava muito ansiosa para lê-lo, não perdi tempo e comprei para iniciar a leitura imediatamente.

Sim, eu estava muito empolgada! E não era para menos. No final do livro anterior – Bruno (resenha aqui) – a autora deixou um mega gancho para a história do Carl e a bomba estava lá e eu precisava conferir enlouquecidamente.

Quando um homem como Carl O’Neal é dedicado ao trabalho, competente, sério e amargurado, não tem como não se apaixonar. O primeiro amor da vida dele o abandonou dez anos atrás, e diferente de Alexander e Bruno, Carl tem essa grande mágoa e mesmo após dez anos, todo esse tempo não foi suficiente para fazê-la cicatrizar. Ele seguiu a vida, construiu uma vida e uma carreira, mas algo está incompleto.

E agora o passado está de volta. Após longos anos, decidiu entrar em um avião para o único destino que se imaginava indo, e aterrizou no Brasil em forma da melhor pianista que o mundo conhece: Samantha Stollen. Sam tem uma alma linda tanto por dentro como por fora, tem força de vontade e persegue seus sonhos. Tanto é que como destino final da sua turnê mundial escolheu o Brasil afim de passar alguns dias e poder rever o passado; passado que tem nome e sobrenome.

“Vou vê-lo não importa o que diga para mim mesma. Talvez seja a última vez. E eu o esqueça para sempre.”

Porém, ele não quer vê-la, mas ela tem outros planos, e em à uma guerra de vontades e uma noite um tanto estranha, Sam aparece na portaria do apartamento de Carl. O resultado desse reencontro são mais palavras duras, mais mágoas e um acidente que ambos não estavam esperando. Após isso, ambos terão que se reencontrar em circunstâncias diferentes e ajudar um ao outro a entender o passado e ver se conseguem vislumbrar um futuro juntos.

“Tenho pavor de pensar que ele me esqueceu ou, pior, se ainda me odeia. Não o culpo. Também me odeio.”

Com uma narrativa em primeira pessoa, a autora mesclou bem os dois pontos de vistas dos personagens principais, e ainda agraciou o leitor com uma narrativa surpresa de outro personagem na trama.

Mas num todo eu já sabia que esse livro ia dilacerar meu coração porque Carl está em pedaços e isso acabou comigo. De muitas formas ele era um homem pela metade e Sam também não estava inteira, então vê-los assim foi triste demais. Fazer escolhas, decidir o futuro e no meio ainda ter um relacionamento para lidar não é fácil, e a culpa não torna isso melhor. Muito pelo contrário, faz doer mais e corrói por dentro.

“A jovem despreocupada que me pediu para esperar naquele aeroporto, dez anos atrás, não existe mais. Mas isso é bom, porque eu poderia ser tão fraco que talvez não resistisse e a tomaria em meus braços. Viver do passado é uma merda!”

Também pude perceber como uma autora é capaz de se reinventar com uma história sobre segundas chances e reencontro. Para mim que desde o primeiro livro da série está acompanhando com afinco, tenho certeza que para Mayjo não deve ter sido fácil sair da zona de conforto e recriar. Ela estava acostumada com Alex e Bruno a conduzir desconhecidos numa aventura e romance, agora ela tinha em mãos que já tinham estado juntas e eram de um ano; o tempo passou e agora são mais maduras, tiveram novas experiências e é preciso sabedoria para torná-las perfeitas uma para a outra. Refazer um casal é difícil, no entanto, Carl e Sam foram lindos e se reencaixaram perfeitamente.

“Eu estava cansado de lutar, porque escolher amar alguém não é achar que a pessoa será perfeita o tempo todo. Não. Temos de saber que essa pessoa cometerá erros, pois nós também vamos errar.”

Como toda a série, esse terceiro volume também conteve doses certas de suspense, vingança e muito romance. Apenas deixou a desejar no quesito das cenas de ação que sempre achei a autora muito boa ao desenvolvê-las. Mas aqui ficou faltando. Fiquei esperando algo mais intenso pois o enredo merecia devido a uma vilã muito da lambisgoia. Sério, eu mesma fiquei várias vezes imaginando mortes bem sangrentas para ela.

É isso! Ainda estou suspirando e gritando internamente pois o resultado foi muito bom. Valeu a espera. Carl não é uma história sobre um empregador prestando serviços à cliente, é sobre um homem apaixonado reencontrando sua antiga paixão em circunstâncias adversas e bem complicadas.

Participe do “Comentário Premiado de Junho” clicando aqui

Anúncios

5 comentários em “[RESENHA] “Carl” (Série Guarda-Costas – Livro 3) de Mayjo por @AmazonBR – @Mayjo81

  1. Ai Clarisse!
    Esses romances que tem mágoas e ressentimentos antigos entr o casal, sempre dilacera nossos coraçõeszinhos românticos e ficamos torcendo para que resolvam suas diferenças e curtam plenamente o amor que os domina desde há muitos anos…
    “Como eu não tenho o dom de ler pensamentos, eu me preocupo somente em ser amigo e não saber quem é inimigo. Pois assim, eu consigo apertar a mão de quem me odeia e ajudar a quem não faria por mim o mesmo.” (Desconhecido)
    Cheirinhos
    Rudy

  2. Oi Clarisse 😉
    Confesso que quando você falou do livro no último post de lançamentos nacionais, não tinha ficado tão animada por Carl, mas a resenha me deixou curiosa para ler a série.
    Gosto de livros narrados em primeira pessoa e com alternados pontos de vista, então isso já é um incentivo para eu ler. E também me interesso por livros sobre segundas chances e reencontro, então acho que irei gostar.
    Obrigada pela dica!
    Bjos

  3. Oi Clarisse, é bom quando nossas expectativas são atendidas e somos agraciadas com histórias maravilhosas, ainda não conheço a autora mas já ouvi falar bem dessa série e se não me engano baixei o primeiro volume numa promoção, mas ainda não li, acho que vou corrigir isso e ler, e quem sabe me encantar e já querer todos ❤

    1. Sim, Lili, você tem razão! Quando nossas expectativas são atendidas é maravilhoso.
      Estou muito satisfeita com essa leitura.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s