Resenha

[RESENHA] “Escândalos de Elisabeth”, de Eléonore Fernaye por @EditoraBezz

Boa tarde!

Hoje tem o meu gênero favorito, então apreciem imensamente e espero que vocês também gostem da Elisabeth e do Henry. Estou apaixonada por eles!

Paris, 1778

A bela Elisabeth Arsac atrai milhares de olhares, porém, esta jovem mulher rejeita todos os pretendentes, porque quer preservar sua independência e evitar as inconveniências do casamento. No entanto, em um baile de máscaras, ela cai nos encantos de um americano sedutor, com quem trava uma galante conversa.

Então, ela se joga de cabeça em um caso clandestino, que é interrompido quando ele pede sua mão. Elisabeth não tem a menor intenção de aceitar um marido, mas o destino pode ter decidido de outra forma…

Sabe aquele livro que você quer muito ler e a capa te chama e te chama, mas por motivos bem idiotas acaba adiando a leitura? Pois bem, isso foi o que aconteceu comigo e “Escândalos de Elisabeth”. E preciso ressaltar que me arrependo muito de não ter lido logo.

Esse é o primeiro volume da trilogia da Família d’Arsac que tem como enredo a história da filha mais velha: Elisabeth, que apesar de atrair muitos olhares rejeita veementemente todos os pretendentes. Elisabeth tem pensamentos convictos sobre a instituição do casamento e como ele pode atrapalhar seus planos. No entanto, um baile de máscaras fica evidente pelos olhares de um belo americano que a jovem precisará driblar ainda mais seus pensamentos com respeito ao amor.

“Seus ideias são elevados e não tem que se envergonhar deles. No entanto, primeiro deve aprender sobre o amor antes de falar dele em termos tão ruins.”

Ao passar um tempo em Paris, Henry não imaginou que a interação com uma bela jovem o deixaria tão encantado. Com sua saída de Londres tinha outros planos, como por exemplo, fazer novos amigos e ser o mediador de um tratado entre a América e França; porém, os laços com o país se tornaram um pouco mais profundos do que os políticos. No entanto, na cena parisiense do século 18, o que mais importa são as suas posses, e Henry é um americano que não as possui.

No entanto, na noite do baile, Elisabeth não se importa muito com posses ou nomes, a única coisa que passa na cabeça da moça são os olhos cinzentos do seu caso clandestino. E essa noite muda tudo. Henry se torna mais do que um caso, além de ser o amigo de Louis, irmão de Elisabeth, com quem cria mais laços e mais conexão.

“Quando tentou castamente desviar o olhar, simplesmente não conseguiu. Cativada, tinha a sensação de estar exposta frente aquele estranho que tanto a incomodava, embora ela não quisesse fugir. Não naquela noite.”

Sinceramente, eu ADOREI esse livro. Elisabeth é um jovem destemida, que conhece muito bem seus valores e não se distancia deles. É fervorosa, amorosa e convicta. Fica muito difícil falar sobre uma protagonista tão adorável. Não gosto de citar que as personagens em romances de época são “à frente do seu tempo”, pois isso é muito superficial. Mas posso dizer, com toda a certeza, que todos os toques maravilhosos que a autora colocou no livro para dar peso à personalidade da Elisabeth são cativante.

“Por mais estranho que pudesse parecer, dada a sua resistência inicial, felicitava-se quase diariamente por ter contraído aquela união. Pior, parecia estar feliz, o que não esperava.”

Além disso, temos Henry que é um homem compreensivo e gentil. Que mesmo sem posses tem profundo afeto pela nossa mocinha e a trata com muito carinho e respeito. E apesar do romance entre eles encontrar algumas pedras de tropeço ao longo do caminho, é muito bom de acompanhar essas reviravoltas . Elisabeth é convicta, mas sabe o momento de ceder. Henry tem seu orgulho mas sabe achar paz em meio à guerra.

“Ele fez uma careta para o insulto, mas absteve-se de comentários. Era melhor não iniciar uma discussão com a Srta d’Arsac, porque ele sentia que não sairia vencedor.”

Outro ponto incrível nesse enredo é o fundo histórico. A história se passa em 1778 no momento em que o Tratado da Aliança entre Paris e os Estados Unidos é assinado, e também o Tratado de Amizade e Comércio pelos mesmo países. Além da possível guerra contra o Reino Unido, que realmente aconteceu em julho do mesmo ano. E a autora por ser de origem francesa deixa claro como os do seu país enxergavam os americanos. Sendo ficção ou não, achei isso muito interessante, pois até o momento apenas tinha lido romances de época que se passavam em Londres e Nova York, mas nunca em outro lugar e com outro plano de fundo. Foi muito revigorante e interessante.

Então, além de novamente afirmar que essa é uma excelente leitura para os apaixonados por romances, também afirmo que é uma obra de estreia maravilhosa da parisiense Eléonore Fernaye. Adorei essa autora e como ela consegue dar muita humanidade às suas histórias. E espero de todo meu coração que a Editora Bezz traduza os outros dois volumes da trilogia que são dos outros dois irmãos de Elisabeth: Louis e Constance.

Participe do “Comentário Premiado de Junho” clicando aqui

Anúncios

5 comentários em “[RESENHA] “Escândalos de Elisabeth”, de Eléonore Fernaye por @EditoraBezz

  1. Oi Clarissa 😉
    Acho que hoje em dia também é meu gênero favorito, e como eu não sabia desse livro??
    Adorei a capa e a premissa. É engraçado como uma jovem da época pensa de forma tão diferente sobre casamento… é revigorante!
    Acho que vou me apaixonar pelo Henry também *-*
    Bjos

  2. Clarisse!
    Gosto demais de romance históricos, porque além de podermos apreciar o romance e as ‘mocinhas além de seu tempo’, podemos apreciar também um pouco da história da época, aprender um pouco mais…
    Sensacional!
    Bom feriado!
    “Saber envelhecer é a grande sabedoria da vida.” (Henri Amiel)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

  3. Oi Clarisse, esse também é o meu gênero favorito e até já tava namorando uns lançamentos da Bezz de época e agora vou incluir mais esse na lista ❤ Curti que o romance não se passa em Londres e as descrições dos protagonistas são encantadoras, pensando agora nem sei porque minha atenção ainda não tinha sido voltada pra essa história, a capa é linda e amei a resenha… Já vai pra lista 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s