Uncategorized

[RESENHA] Uma Canção de Ninar, de Sarah Dessen por @editoraseguinte

Boa tarde guys!

Gostam de um romance fofinho com crescimento pessoal? Sarah Dessen tem isso!

 

Remy não acredita no amor. Sempre que um cara com quem está saindo se aproxima demais, ela se afasta, antes que fique sério ou ela se machuque. Tanta desilusão não é para menos: ela cresceu assistindo os fracassos dos relacionamentos de sua mãe, que já vai para o quinto casamento. Então como Dexter consegue fazer a garota quebrar esse padrão, se envolvendo pra valer? Ele é tudo que ela odeia: impulsivo, desajeitado e, o pior de tudo, membro de uma banda, como o pai de Remy — que abandonou a família antes do nascimento da filha, deixando para trás apenas uma música de sucesso sobre ela. Remy queria apenas viver um último namoro de verão antes de partir para a faculdade, mas parece estar começando a entender aquele sentimento irracional de que falam as canções de amor…

Uma Canção de Ninar foi o último lançamento da autora Sarah Dessen feito pela Editora Seguinte; e com todo meu coração espero que esteja vindo muito mais por aí.

Não é muita novidade que sou louca pela Sarah Dessen, e desde 2011 quando o primeiro livro dela foi lançado aqui no Brasil que acompanho cada lançamento e me extasio com cada livro de forma diferente. E com Uma Canção de Ninar não foi diferente!

Esse é um livro dividido em alguns meses do ano que nos conta a história e a transação da Remy. Ela acabou de terminar o Ensino Médio e essas são as últimas férias antes da vida universitária. Ela é uma jovem complexa que passa por alguns problemas familiares: como a mãe que já se casou várias vezes e estava indo para o próximo, o irmão era o cara que criava lagartos e tinha uma namorada perfeitinha, e o pai que ela nunca conheceu mais que deixou uma música que a assombra.

Todas essas particularidades fazem com que Remy seja cética quanto ao amor romântico e tudo o que o envolve. Nem suas amigas, Chloe, Jess e Lissa conseguem a ajudar nesse departamento. Ela tem regras que leva a sério e nunca deixa um relacionamento ir à diante e ficar muito sério.

“Não deixe ficar sério demais. Não deixe ele partir seu coração. E nunca, em hipótese alguma, saia com um músico.”

Mas conhecer Dexter e alguns acontecimentos os empurrando para estarem juntos casualmente talvez fará Remy mudar de ideia e aproveitar seu último verão. Porém, as barreiras sempre arrumam um jeito de se fazer presente, porque Dexter é o tipo de garoto que Remy não gosta. Ele é impulsivo, desajeitado, desajeitado e faz parte de uma banda. Há algum problema nisso? Bem, pra Remy é um dos grandes.

“Ok, talvez eu tivesse mesmo uma certa fama de esperar demais dos relacionamentos. Mas pelo menos eu tinha critério.”

Pois é, esse quote à cima me fez pensar muito que Remy se levava muito à sério. Tinha muitas regras e evitava qualquer tipo de envolvimento com as pessoas a sua volta. E não digo só em relação aos garotos não. Ela critica fervorosamente algumas pessoas à sua volta e dá pouca ou nenhuma atenção à família.

” – Sabe, ele ainda fala de você.
– Quem?
– Dexter.”

Desde Just Listen eu não ficava tão cativada por uma personagem complexa. Remy de várias formas conseguiu falar comigo e a compreendi muito bem o que ela sentia. Digo até que foi muito além, algumas vezes me vi espelhada nela e isso foi meio assustador.

Mas ver sua guarda baixar e se envolver completamente com Dexter dá ao livro um novo olhar e uma nova dinâmica na história. Remy precisa dar uma chance a si mesma, e o poder que ela guarda dentro de si é incrível. Vi uma jovem distante e fria se converter em alguém fervorosa. Fiquei muito feliz em testemunhar tal mudança.

“Eu não perdia tempo com as possibilidades, enquanto ele mergulhava nelas.”

Nesse jovem adulto também somos incitados a refletir sobre relacionamentos fracassados, pais divorciados e ausentes, a incerteza de relacionamentos de uma noite só e beber em excesso. E o modo como algumas coisas na juventude faz a pessoa abrir mão da juventude e se entrega numa vida fria e sem emoções.

Sarah é uma autora que fala a mesma língua dos jovens e sabe descrever bem suas angústias, felicidades, amizade, amor e tristezas; colocando em palavras o que se passa dentro da gente. São poucos autores que tem esse poder e sou muito feliz em saber que gosto tanto de uma autora assim.

Uma Canção de Ninar foi realmente um livro que falou comigo e me deixou feliz.

Anúncios

4 comentários em “[RESENHA] Uma Canção de Ninar, de Sarah Dessen por @editoraseguinte

  1. Oi.
    Confesso que desde o lançamento não sentir vontade alguma de ler esse livro e isso até hoje.
    Mas adorei sua resenha, uma coisa que você falou e concordo é que o fato ter pais divorciados pode gerar um certo trauma e isso me levou a refletir, até onde isso pode afetar o filho do casal no quesito relacionamentos.
    Bjs.

  2. Clarisse!
    Tão bom quando nos identificamos quase que completamente com uma personagem, porque nosso envolvimento na leitura fica ainda maior.
    Imagino os conflitos interiores vividos por Remy ao conhecer Dexter, porque ele representava o oposto do que queria para ser.
    A autora realmente atinge o público mais jovem.
    “Não ganhe o mundo e perca sua alma; sabedoria é melhor que prata e ouro.” (Bob Marley)
    cheirinhos
    Rudy

    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s