Resenha

[RESENHA] “Simplesmente o Paraíso” (Quarteto Smythe-Smith – Livro 1), de Julia Quinn por @editoraarqueiro

Olá leitores, boa tarde. Como vocês estão?

Vamos começar mais uma semana com leituras lindas e uma série MARAVILHOSA!

 

Honoria Smythe-Smith sabe que, para ser uma violinista ruim, ainda precisa melhorar muito…

Mesmo assim, nunca deixaria de se apresentar no concerto anual das Smythe-Smiths. Ela adora ensaiar com as três primas para manter essa tradição que já dura quase duas décadas entre as jovens solteiras da família. Além disso, de nada adiantaria se lamentar, então Honoria coloca um sorriso no rosto e se exibe no recital mais desafinado da Inglaterra, na esperança de que algum belo cavalheiro na plateia esteja em busca de uma esposa, não de uma musicista.

Marcus Holroyd foi encarregado de uma missão…

Porém não se sente tão confortável com a tarefa. Ao deixar o país, seu melhor amigo, Daniel, o fez prometer que vigiaria sua irmã Honoria, impedindo que a moça se casasse com pretendentes inadequados. O problema é que ninguém lhe parece bom o bastante para ela. Aos olhos de Marcus, um marido para Honoria precisaria conhecê-la bem (de preferência, desde a infância, como ele), saber do que ela gosta (doces de todo tipo) e o que a aflige (como a tristeza pelo exílio de Daniel, que ele também sente). Será que o homem ideal para Honoria é justamente o que sempre esteve ao seu lado afastando todo e qualquer pretendente?

Com seu estilo inteligente e divertido, Julia Quinn enfim apresenta ao público o Quarteto Smythe-Smith, o terrivelmente famoso e adoravelmente desafinado grupo musical que conquistou os leitores antes mesmo que as cortinas se abrissem para ele.


E nossa querida Julia Quinn, que é a rainha dos romances históricos chega com o Quarteto Smythe-Smith em uma edição maravilhosa feita pela Editora Arqueiro num box de luxo com os 4 volumes da série.

Simplesmente o paraíso é o primeiro volume da série que nos permite conhecer Honoria Smythe-Smith que é a violinista do quarteto, a sensata e a que mantem as outras pertencentes ao quarteto unidas. Marcus Holroyd é o mocinho e aquele que nos permitirá suspirar o romance inteiro. Pois então, preparem-se.

Logo no prólogo somos arrebatados por uma vivaz Honoria quando criança, sua alegria e vontade de ser aceita nas brincadeiras de seu irmão mais velho junto com seu amigo Marcus, e em contrapartida Marcus nos conta sua a história de infância e em como a família Smythe-Smith é importante para ele.

Alguns anos passam, e já uma moça pronta para ser dada em matrimônio, Honoria passou por duas temporadas em Londres com o objetivo de conhecer um futuro marido, mas parece que a sorte não está bem ao seu lado. Porém está convicta de que esse ano algo acontecerá que a possibilitará ter seu tão sonhado momento especial.

“Honoria não estava procurando um marido apenas para admirar a aliança no dedo ou para se regozijar com seu status de jovem matrona elegante. Queria uma casa que fosse sua. Uma família – grande, barulhenta, que sem se preocupasse em ter modos.”

E é nesse momento crítico que Marcus retornará à vida de Honoria e verá em primeira mão como a vida dela não estava como ela gostaria que estivesse, e seus planos para o futuro não o agradavam muito. Mas em compensação, também notou que ela continuava a mesma da infância: amigável, interessada no bem-estar dos outros, amorosa, abnegada e ainda mexia com seu coração.

“Não ocorrera a Marcus até aquele momento, mas Honoria era a única mulher conhecida que falava francamente com ele, inclusive com algumas saudáveis doses de sarcasmo.”

Saber que Marcus estava interessado nela primeiro fez meu coração se derreter. Sempre gosto disso! E Marcus é aquele tipo de pessoa que não dá para não se apaixonar, apesar dele ter um traço sombrio devido a sua infância, mas mesmo assim, a profundidade da sua alma é tão colorida que faz nosso coração ficar aquecido.

E em dado momento na leitura, o interesse sincero dela por Marcus me fazia amá-la mais a cada página. É incrível quando um personagem toma conta do livro e me deixa não querendo que acabe. Honoria e Marcus foram assim a leitura inteira.

“Marcus passara a vida toda ansiando por uma família. Será que algum dia percebera que a família dela já era dele também?”

Honoria também é uma querida. Sua personalidade é aquele tipo que você não quer perder numa pessoa e faz de tudo para tê-la ao seu lado. Mas também quando não gosta de algo, não é aquele tipo de pessoa que se encolhe; ela tem a força suficiente de colocar suas asas de fora e deixar seu ponto esclarecido.

Amo a Julia Quinn. E sempre nos seus livros encontro o equilíbrio perfeito entre os personagens. Nenhum deles precisa se diminuir para que outro apareça mais, e também nunca notei um dos personagens tendo mais importância do que o outro. E sinceramente, gosto muito dessa imparcialidade na hora de construir o enredo, que nos permite notar como a autora constrói muito bem cada um dos seus personagens, dando a cada um característica que serão vitais na história e nos encantará.

“Marcus quis dizer que ela provavelmente era a pessoa mais corajosa e abnegada que ele conhecia. Quis dizer que assistiria a milhares de recitais das Smythe-Smiths se fosse necessário para estar com ela.”

E aí, alguém ansioso para começar essa ótima leitura? Em breve teremos mais Quarteto por aqui.

Participe do “Comentário Premiado de Março” clicando aqui!

Anúncios

3 comentários em “[RESENHA] “Simplesmente o Paraíso” (Quarteto Smythe-Smith – Livro 1), de Julia Quinn por @editoraarqueiro

  1. Clarisse!
    Estou sim bem curiosa por ler mais essa série da autora, porque afinal, ela escreve romances de época como ninguém e ver um casal tão lindo, Marcus descobrindo afinal que ele sim é o par certo para ela, fiquei encantada.
    Embora o nome Honoria seja horrível!!!kkkk
    “Ouse saber!(Sapere aude)” (Immanuel Kant)
    cheirinhos
    Rudy

    TOP Comentarista de MARÇO, livros + KIT DE PAPELARIA e 3 ganhadores, participem!

  2. Eu estou ansiosa demais para começar esse Spin-off, amei a série dos Bridgertons e não vejo a hora der ler o Quarteto, enfim gostei da premissa e dos personagens e sim gostei também da lição de quão importante a família é, vou ler com certeza, adoro personagens que assim como você comentou é impossível não se apaixonara, enfim ansiosa por esses livros.
    Bjs.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s