Resenha

[Resenha] Nerve, de Jeanne Ryan por @PlanetaLivrosBR

Boa tarde galera!

Vamos saber tudo sobre o livro que tem como tema um jogo virtual que mexe muito com a vida real dos participantes.

E que os jogos comecem!

Capa do livro 1

Nerve

Sinopse 1

Você já se sentiu desafiado a fazer algo que, mesmo sabendo que pode se arrepender depois, acaba levando em frente? A heroína deste livro também. Vee cansou de ser só mais uma garota no colégio, e quer deixar os bastidores da vida para assumir seu merecido posto sob os holofotes. E o jogo online Nerve, febre nacional transmitida ao vivo, pode ser o início dessa trajetória de sucesso. Basta que ela clique no botão “Jogador” em vez de “Espectador” para entrar na disputa, que propõe, a cada etapa, um desafio novo. A adolescente acaba formando uma dupla imbatível com Ian, um garoto desconhecido com quem trava contato ao se inscrever em Nerve. Juntos, vão galgando posições no jogo. Mas, conforme os dois avançam na disputa, os desafios ficam cada vez mais complexos… e perigosos.

Resenha 1

Não há tempo para considerar as opções. Quanto mais eu penso, maior é a chance de perder a coragem. E estou cheia disso.

Que eu sou apaixonada por um new adult e chick lit vocês já sabem, mas dessa vez decidi me aventurar e sair um pouquinho de minha zona de conforto e conhecer uma história bem diferente do que estou habituada a ler.

Falando em sair da zona de conforto, é isso que a protagonista de “NERVE” pretende fazer. Ela fica literalmente atrás das cortinas enquanto o espetáculo acontece, pois ela é responsável pelo figurino e maquiagem do elenco da peça de teatro da escola. Não que ela não tenha tentado algum papel para a peça, mas é que sua timidez e seu nervosismo sempre a atrapalham. Estamos falando de Vee, que tem como melhor amiga a protagonista da peça, a exuberante Syd. E devido a uma sucessão de acontecimentos, Vee acaba indo participar do jogo NERVE.

NERVE é uma espécie de jogo misturado com reality show, onde as provas dadas são feitas em qualquer lugar que eles determinam, e são filmadas por pessoas que pagam (acreditem nisso!) para serem seus Observadores e filmar as provas. No início as provas parecem simples, a maioria fazendo com que o participante pague um belo de um mico, mas conforme ele vai avançando os desafios vão ficando mais difíceis. E o que falar dos prêmios oferecidos! É exatamente tudo que o participante precisa e quer, o que só comprova o quanto o NERVE sabe sobre a vida de seus participantes.

Forço um sorriso e respiro fundo. E de novo.

É. Hora do show

No início Vee contará com a ajuda de Tommy, seu colega responsável pelo cenário da peça de teatro, para filmar os desafios propostos pelo NERVE, mas em seguida os responsáveis pelo jogo fazem com que ela o dispense e lhe envia um novo parceiro: Ian.

Ian parece dar força a Vee toda vez que ela pensa em desistir de tudo, mostrando uma grande determinação em ganhar todos seus estranhos prêmios. Confesso que por boa parte do livro fiquei com o pé atrás em relação ao personagem, principalmente por ele manter em segredo sua vida pessoal.

O NERVE age como se fôssemos macacos treinados que pulam cada vez que alguém balança uma banana na nossa frente.

A narrativa do livro é quase inteiramente em primeira pessoa, sendo contado a partir da visão de Vee. Digo “quase inteiramente” porque o prólogo é em terceira pessoa, e nele acompanharemos uma outra jogadora. A história flui muito bem, e na segunda metade do livro eu já estava com o coração na mão, pois é nessa parte que Vee e Ian se juntam a outros jogadores para formar uma estranha equipe, e é quando o jogo começa a ficar realmente perigoso, pois a produção parece querer jogar um contra o outro usando a fraqueza de cada um deles.

Estou começando a pensar que o poder deles não tem limite.

Adorei o livro! Ele foi publicado originalmente em 2012, mas ele fala de algo bem atual: o quanto falamos de nós mesmos em redes sociais, pois é através disso que o NERVE tira muitas informações sobre Vee. E sobre Vee o que tenho a dizer é que ela é uma personagem bem construída, uma jovem que adora seus amigos e quer sair do casulo que sempre foi sua vida. Embora as vezes ela tenha sido um pouco fraca por cair na do NERVE, em nenhum momento tive raiva dela, muito pelo contrário, não via a hora que ela se rebelasse.

Somos os atores nessa produção doentia. Os Observadores, essa escória, podem estar em qualquer lugar do mundo, bebendo, fazendo apostas e torcendo por sangue.

Assim que terminei de ler o livro fui ver o trailer do filme, mas minha decepção foi grande por ver que só naqueles minutinhos já haviam várias diferenças com o livro. A essência do filme parece ser a mesma de seu material de origem, mas sinceramente preferia que fosse exatamente igual :/ Mesmo assim, assim que sair em DVD vou assistir para ver se gosto tanto quanto do livro, e bancar também a chata dizendo a cada cena para meu marido: “não é assim que acontece no livro”.

Espero que vocês gostem desse livro tanto quanto eu! E se você já assistiu o filme, corre pra ler o livro!

Até a próxima!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s