Resenha

[Resenha] Anna e o beijo francês, de Stephanie Perkins – @Novo_Conceito

Você está procurando um livro para ter emoções multíplas? Venha para França comigo!

100

Capa

anna e o beijo

Sinopse

Anna Oliphant tem grandes planos para seu último ano em Atlanta: sair com sua melhor amiga, Bridgette, e flertar com seus colegas no Midtown Royal 14 multiplex. Então ela não fica muito feliz quando o pai a envia para um internato em Paris. No entanto, as coisas começam a melhorar quando ela conhece Étienne St. Clair, um lindo garoto -que tem namorada.Ele e Anna a se tornam amigos mais próximos e as coisas ficam infinitamente mais complicadas. Anna vai conseguir um beijo francês? Ou algumas coisas não estão destinadas a acontecer?

Resenha

Fazer a resenha de um livro que a gente gosta tanto pode ser difícil? Sim! Fico com medo de não transmitir tudo o que já senti. E essa é a segunda vez que fiz a leitura desse livro, mas nada me fez não amar ou desgostar. Tudo o que senti na primeira vez ainda estava lá: lindo e concreto.

Anna não está entusiasmada com a ideia de mudar para Paris, prefere ficar em Atlanta, onde tem um bom emprego no cinema da cidade, tem também uma melhor amiga fiel e um namoro que sonha prestes a acontecer. Então sair agora é o que ela menos quer. Porém, seu pai, um famoso escritor de romances, decidiu que sim, ela iria. E suas malas já está pronta para embarque com destino à Cidade Luz e ao colégio interno.

“Isto é tudo o que sei sobre a França: Madeline, Amélie e Moulin Rouge. A Torre Eiffel e o Arco do Triunfo também, embora eu não saiba qual é a verdadeira função de nenhum dos dois.”

E com seus 17 anos, Anna não deixa de ter as características de uma jovem dessa idade: indecisa, um pouco rabugenta, mas que se acostuma rápido num novo ambiente quando se deixa curtir o momento. E é isso que vamos notando com a narrativa da Perkins, que nada é tão sombrio como ela acredita ser.

Ao entrar no internato, Anna conhece a divertida Meredith, e outros amigos: St Clair, Rashimi que vai interagindo ao longo da trama. Porém, nossa protagonista ainda continua reclusa, com pequenos medos que acho serem bem naturais para estudantes de intercâmbio: lidar com a saudade de casa, pedir comida, passear sozinha, falar um idioma que não tem prática, interagir com outros.

“Passo o resto da hora do almoço em um banco. Sinto tanta falta de casa e isso dói fisicamente. Meu coração bate acelerado, meu estômago está nauseado e é tudo tão injusto. Nunca pedi para ser mandada para cá. Tinha os meus próprios amigos, as minhas próprias piadas particulares e os meus próprios beijos roubados.”

Mas ao conhecer St. Clair, ele é capaz de tirar Anna de sua zona de conforto, conversando coisas normais e tendo momentos agradáveis ao redor de Paris. E é nesse momento que você leitor perceberá o encanto de St Clair. Porque ele o tem, e muito! E Anna sabe disso, todo mundo sabe, até St Clair, mas ele não liga, não é cheio de si, e isso o torna mais interessante e mais cativante. É legal observar como Anna nota isso, mas não quer fazer parte do clã de garotas que vivem atrás dele.

“Não quero me sentir assim perto dele. Quero que as coisas sejam normais. Quero ser sua amiga, não outra garota estúpida agarrando-se a algo que nunca acontecerá.”

Porém, St Clair tem uma namorada e Anna tem alguém que ela gosta em Atlanta. E isso é complicado. E o que vemos são dois jovens passando a se entender, tentando entender o mundo a sua volta. Anna tem uma amiga que não quer perder o contato, St Clair tem questões familiares sérias que precisa resolver. E ambos se encontrarão para que ajudem um ao outro, para que conheçam a força um do outro.

Stephanie Perkins é uma autora maravilhosa que não enrola seus leitores. Com Anna ela fez o milagre de criar uma protagonista cheia de coisas boas a transmitir, que não é vazia e que entretêm o leitor, e não só isso, mas que faz com que nos identifiquemos. O amor de Anna por cinema e as lindas descobertas que ela faz em Paris, permite ao leitor viajar sem sair do lugar. Senti que eu realmente estive nos lugares citados, e o desejo de realmente conhecer esse lugares tornou-se muito grande.

“Algumas pessoas têm preconceito sobre ir ao cinema sozinhas, mas eu não. Porque quando as luzes se apagam, a única relação que ainda existe na sala é entre mim e o filme.”

Anna e o beijo francês é aquele livro YA que faz você querer lê-lo e relê-lo, e a magia da escrita que a autora nos proporciona mais do que apenas ler mais um livro sobre uma jovem qualquer. É um livro em que o leitor experimenta a vida, curte o que pode dela e no final não se sente satisfeito porque simplesmente quer mais. E sabemos que existe, porque é uma trilogia. E mesmo que não seja com os mesmos personagens, teremos vislumbres deles e nos apaixonaremos por outros, porque além de ser um livro sobre se apaixonar, é também uma história sobre amizade. E isso é tudo!

“Quanto mais você sabe sobre quem você é e o que quer, menos você deixa que as coisas te chateiem.” 

Anúncios

Um comentário em “[Resenha] Anna e o beijo francês, de Stephanie Perkins – @Novo_Conceito

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s