Resenha

[Resenha] Depravado, de Jamie Roberts – @EditoraBezz

E aí pessoal, como está esse começo de semana? Espero que tudo ok por aí.  Porque hoje tem resenha com um cara todo gostoso. Quem quer?

tumblr_inline_nf02eycrID1r9ktnn

Sinopse

depravado

A maioria dos contos de fadas termina com um “felizes para sempre”.

Este não é um conto de fadas. Ele não é um príncipe encantado que vai levá-la em direção ao pôr do sol. Esta é uma história sobre traição, luxúria, desejo e, em última análise, vingança…
E a vingança só pode conduzir a uma coisa.

Tyler
Ele era um estranho, meu visitante, a sombra no canto do quarto. Ele me perseguia, me observava, sabia tudo sobre mim. Mas tudo que eu podia fazer era sentar e esperar. Esperei que ele me visitasse, noite após noite. Ele estava se tornando o meu vício, meu desejo, minha obsessão. Ele conhecia cada centímetro do meu corpo, mas eu não sabia nada sobre ele.
Ele se autodenomina Lótus e, tão maluco quanto possa parecer, acho que estou me apaixonando.

Dean
Eu queria pegá-la, possuí-la, dominá-la e arruiná-la. Eu queria violentá-la, agradá-la e consumi-la até que eu não pudesse sugar mais nada dela.
Ela vai querer que eu a beije. Que a segure durante toda a noite para que ela tenha uma conexão comigo. Eu gostaria de fazer isso, quando ela me procurasse na escuridão. Ser aquele que satisfaz sua maior fantasia. Um estranho que foge para o quarto dela. Alguém que lhe dá o máximo prazer, mas também busca o seu maior sofrimento. A dor que ela nunca teve que suportar. A dor que irá corroê-la até que não haverá mais nada.
Ela era a minha inimiga, eu era o seu lótus. E a vingança

Resenha

Esse foi um dos primeiros livros da minha vida que fui com cuidado e pé atrás para lê-lo. Primeiro, porque todo ele me lembrava Debt  da autora Nina G. Jones, que foi um livro maravilhoso que li ano passado e não queria ler repeteco. E literalmente quando comecei todos os elementos do livro citado estavam lá: cara perseguidor, mocinha sendo perseguida, sexo quente, amigos e amor de infância, traição e todo o blá blá blá…

Porém Depravado teve uma coisa que me fisgou, e foi toda a interação entre perseguidor e vítima que apesar de ser muito ridícula era engraçada também. Devo confessar que foi muito surreal algumas coisas que eu como vítima sairia correndo pedindo proteção policial urgentemente, escolta, SWAT e o que mais fosse possível. E não ficaria impassível vendo alguém entrar na minha casa e dar risada e achar a situação legal e deixar bilhetes para o cara em questão. E por esse motivo achei a protagonista, Tyler, muito passiva e tola, ainda mais levando em consideração a profissão dela.

“Alguma vez você já ouviu falar do ditado ‘Antes de embarcar em uma ornada de vingança, cave duas covas?'”

Não sei se posso chamar o Lótus de mocinho, porque de bom moço ele não tinha nada, mas ele era uma pessoa chata que não tinha fim com todo aquele melodrama de “preciso me vingar e você destruiu minha vida”, que dava nos nervos e eu só queria revirar os olhos. Não gostei nem um pouquinho dele. E muito menos vontade de conhecê-lo e saber porque ambos estavam naquela situação. E a química entre o casal era zero, o que tornava toda a narrativa maçante por causa do monte de cenas de sexo e nenhum sentimento real havia entre eles.

“Então, eu fui embora. Meus pés começaram a se mover e eu a deixei sozinha, chorando em sua cama. Ela precisava de mim e eu fui embora. Sim, eu sei. Eu era um babaca”

No entanto, o que mais me alegrou foi conhecer o Jeremy, porque ele sim foi um personagem que me deixou com vontade de virar as páginas e saber mais sobre ele e sua difícil vida apesar da pouca idade. Amei-o com todo o meu coração por ser espirituoso, alegre, divertido para uma criança com 15 anos.

E para não deixar aqui uma impressão de “Meu Deus essa garota é uma chata e não gosta de nada!”, digo em minha defesa que curti muito as últimas 10 páginas que tem um imenso gancho para o próximo livro dessa duologia. Que é um baita de um cliffhanger! O que a autora não trabalhou durante o livro inteiro ela deixou para o final e fez bem porque estou imensamente curiosa para ler logo o próximo.

Espero aumentar meu conceito dos personagens e da história em breve.

Anúncios

Um comentário em “[Resenha] Depravado, de Jamie Roberts – @EditoraBezz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s