Resenha

[Resenha] Quando Saturno Voltar, de Laura Conrado – @GloboLivros

Oi! Estou de volta. 🙂

Quando falei aqui que o livro novo da Laura Conrado trazia altas pitadas de humor, Não me enganei. 😀 😀

Inicio agradecendo o Kit Fofinho que recebi como cortesia da Globo Livros. O-B-R-I-G-A-D-A!!!!

Vamos lá? “Pega carona nessa cauda de cometa”, dá um toque na playlist e vem comigo…

Livro: Quando Saturno Voltar

Autora: Laura Conrado

Editora: Globo Livros

estrela

Capa do livro 1

Quando Saturno VoltarsinopseEm seu novo romance, Laura Conrado conta a história de Déborah Zolini, uma jornalista sonhadora e fã de Pablo Neruda que trabalha como assessora de imprensa de um clube de futebol da segunda divisão e namora o médico Sérgio há quatro anos. Ela faz planos de construir uma vida a dois, arrumar um emprego melhor e correr atrás de desejos que ainda não realizou. Só que a vida, ou as estrelas, guardam surpresas para Déborah. 

Em uma viagem ao Chile, ela encontra uma mulher misteriosa que lhe fala sobre o retorno de Saturno. O planeta, que leva, em média, 29 anos para dar uma volta no sistema solar, voltará à posição em que se encontrava quando a jornalista nasceu. Para quem acredita em astrologia, esse é momento em que as pessoas passam por várias mudanças, que vão prepará-las para encarar o resto de sua vida. Déborah não leva a moça muito a sério, mas pede às estrelas que a ajudem a realizar seus desejos. 

No entanto, no voo de volta ao Brasil, um encontro inesperado começa a abalar a vida aparentemente certinha da protagonista. Aos poucos, Déborah começa a notar que seu namoro anda meio morno, a falta de reconhecimento no trabalho a incomoda. Ela começa a admitir que não está gostando do rumo que as coisas estão tomando. Será a hora de partir para novos desafios? Trocar aquele relacionamento confortável pelo frio na barriga? Sair de vez da zona de conforto e ver o que acontece? 

Com uma prosa leve e bem humorada, Laura Conrado criou um romance cativante sobre perseguir os próprios sonhos e a coragem necessária para ser feliz. Leitores que ainda não chegaram ou já passaram pelo retorno de Saturno vão se emocionar com essa história.

10

Resenha 1

Fazia um certo tempo que não lia Chick- lit e confesso que fiquei supercuriosa quando a Laura anunciou o tema de seu novo livro. Não que tenha algum interesse no assunto astrológico, é que os livros dela são diversão na certa.

Quando Saturno Voltar conta a historia de Déborah Zolini e sua rotina de vida. Ela tem sonhos e até projetosmulher-cabelos-ao-vento prontos para pôr em prática. Só que nem o fato de trabalhar como Assessora de Imprensa, desde que se formou, para um time de futebol da segunda divisão, a estimula dar o pontapé inicial. Morando com os pais e o irmão, e mantendo um namoro enfadonho por quatro anos, Déborah está bem acomodada em sua zona de conforto.

Às vésperas de seus 29 anos, ela viaja ao Chile com a equipe do Tricolor Associação Esportiva, o Taes. No hotel em que se hospeda, tem um encontro que muda sua vida para sempre. É justamente nesse momento que é explicado O Retorno de Saturno. “Quando o planeta Saturno retorna ao mesmo ponto do céu em que estava no seu nascimento, pode trazer consigo transformações profundas”. É interessante todo o processo e quem acredita, percebe que os fatos realmente correspondem. Esse embate realmente mexe com a cabeça dela dando início aos trechos cômicos, tão característicos da autora: as famosas Lauricagens. 😉

É bom acreditar que talvez haja algo da nossa vida escrito nas estrelas.

O interessante também é que, conforme você vê a bola de neve, o alinhar dos planetas, ou sei lá o quê na vida da Déborah, se coloca literalmente no lugar dela. Nossa! Foram momentos tão reflexivos. Não é que nada estivesse dando certo na vida dela, mas sim, nada de novo. Mesmo incomodada com o que tinha, ela não se movia para mudar a tumblr_mourafuAhn1r0o9nko1_500situação. O conforto não é sinônimo de bem-estar nesse momento. E pelo visto, somente uma coisa de outro planeta, com direito a previsão de grandes mudanças, para dar um novo rumo para essa criatura. Já que mudança e o nome dela não cabem na mesma frase, você imagina como se desenrola a trama? Não é o ato de mudar em si, o problema é o resultado. Ela teme a frustração do novo. Os “e se…” da vida são constantes em seu pensamento. Com o retorno de Saturno, tudo muda.

Seu chefe & Cia vivem colocando-a em furadas. Juntando isso com todo o seu histórico de vida, parece que a sua válvula de escape está mais perto do que longe e vem de uma fonte que ela nunca imaginaria e não me refiro à Galáxia.

Morro de trabalhar para os sonhos das outras pessoas. E os meus sonhos?

Essa é uma daquelas leituras em que você acompanha a maturidade do personagem; nesse caso, a Déborah precisou de um sacode da vida e isso fez dela tão humana que poderia ser a autobiografia de alguém. E independente de ter a mesma idade que ela ou não me via questionando: – Isso já aconteceu ou está acontecendo comigo. – Quando Saturno Voltar não mexerá com algumas áreas da vida, ele vem pra abalar as estruturas mesmo.

(…) Hay mas futuro que pasado.

Seguro a mão de Saphira e aponto a frase.

Está ali o conforto que tanto preciso. Certamente há muito mais futuro que passado. Ainda que eu tenha que enfrentar algumas noites, novos dias me esperam. A vida continua.

Já tinha falado que a Déborah era cheia de planejamentos. Muito profissional e competente, mesmo assim não evoluiria onde estava. No seu lado amoroso também. Nem sei se poderia dizer que ela e o Sérgio (seu namorado há milênios; estudante de Medicina e ainda mais, residente, que não tem tempo nem de comer uns churros na esquina – Vixe, isso até rimou! 😀 ) eram amigos. Mas para ela, comodidade é tudo, então um relacionamento sem exigências caía bem. E o cara, além de trazer na bagagem as enciclopédias sobre o corpo humano, ainda traz uma mala, oops!, uma amiga de infância, de causar um AVC em qualquer namorada mortal. Sendo que na sua volta da viagem ela conhece o moreno tentação, Henrique… Não vou spoilear, então pense o quiser. Só acrescento que ele é coadjuvante numas cenas bem intensas. 😛

Ter os sonhos esfacelados pode ser bom: dá para sonhar outros.

A Laura Conrado gerou mais uma leitura super divertida e inteligente, com detalhe de não ser a Ana Maria Braga, mas gritou um: – Acorda, menina!“Mudar de lugar nos permite mesmo enxergar a situação com um novo olhar.” Essa viagem pela Via Láctea, Minas Gerais e o Chile me rendeu boas gargalhadas. Para não perder o hábito do que acontece com os livros dela, fiquei completamente envolvida e não o larguei até terminar. Como a Déborah, também passei algum tempo contemplando as estrelas e até meditando nos versos de Ode a uma Estrela, do Pablo Neruda, que introduz os capítulos.

— Eu recebo a mim mesma do jeito que sou — digo em voz baixa. — Serei fiel a mim mesma, ainda que apaixonada por outra pessoa. Eu me comprometo a me fazer feliz em vez de esperar felicidade de outras pessoas. Prometo cuidar dos meus sonhos com o mesmo zelo com que cuidarei dos meus filhos. Eu me perdoo por fugir de mim mesma e dos meus sonhos por medo e por comodismo.

E você, já passou pelo retorno de Saturno? Conta pra gente. Ahhh!!! Não esquece de adquirir o seu para descobrir se foi como a Déborah. 😉

Amazon Buscapé

Bjos!!!! 😀 😀 😀

10

sobre o autor 1

Laura Conrado. jpg

 

 

 

Laura Conrado Nasceu em 26 de agosto de 1984, em Belo Horizonte, Minas Gerais. É jornalista, pós-graduada em Educação, Criatividade e Tecnologia. A maneira divertida com a qual consegue abordar temas profundos tem rendido a ela leitores em todo país.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s