Resenha

[Resenha] Animate Me: Amor Criativo, de Ruth Clampett

Graaaaaças a Deus é sexta-feira. Uhuuuuu!!! Mas, calma, calminha, antes de saírem correndo para o fim de semana, deixem-me mudar o curso da sua programação. Sim, esqueça qualquer outro lugar que você iria. Após essa resenha, você correrá direto pra livraria mais próxima para adquirir o seu exemplar de Animate Me.

Não acredita? Espere e verá. Nathan vai te conquistar! ❤

copo 2

Livro: Animate Me: Amor Criativo

Autora: Ruth Clampett

Editora: nVersos

Skoob

capa de livro

Começando por essa capa linda e super diferente. Gente, eu realmente a amo. Foi uma das primeiras coisas que chamou a minha atenção nesse livro. Sei que algumas pessoas podem olhar pra ela e já julgar o conteúdo do livro (ai, ai, ai, não pode), mas nada poderia representar melhor o livro e o amor de Brooke e Nathan que um copo de café com um desenho fofo. Ownnnn! ❤

Por isso é um desenho, mas não se engane, esse livro tem de tudo um pouco: romance, humor, sedução e emoção. E os desenhos? Ownnn, a autora é filha do criador do Pernalonga, então, podem esperar também um passeio pelas lembranças dos personagens favoritos da nossa infância. ♥♥♥

Destaque também para o trabalho da editora na formatação do livro. Os separadores nos capítulos são copinhos e óculos nerds super fofos, além de, se você passar as folhas rapidamente, vai notar efeito de desenho animado. 😮

Ruth, em uma entrevista, citou que ela escreve sobre o que ama e não se prende a modinhas, e você realmente sente isso no livro.

sinopse

O livro é narrado por um nerd – Nathan, um rapaz de 20 e poucos anos, tímido, talentoso, fã de quadrinhos e que nutre uma paixão secreta por sua colega de trabalho, a executiva Brooke, de 30 anos. Sem esperanças de que um dia a garota poderia sequer notá-lo, Nathan começa a escrever uma história em quadrinhos com sua versão do mundo a partir do seu amor por ela. O que ele não esperava era que um projeto em comum os unisse. A partir de um encontro inesperado numa loja de acessórios para computadores, Nathan passa a levar café para Brooke todas as manhãs em seu escritório, mas um detalhe pra lá de sedutor marca o ritual: em cada copo ele desenha uma ilustração, e cada imagem é uma espécie de sinal que apenas eles conhecem. Depois de saber que Nathan está apaixonado por uma colega de trabalho, Brooke passa a ajudá-lo a tornar-se um conquistador, porém, mal sabe ela que a tal colega é ela mesma. Depois de algumas “aulas” recheadas de muito erotismo, o casal mergulha num tórrido romance. O único problema é que Brooke é uma mulher comprometida, e com ninguém mais ninguém menos que com o presidente da empresa em que eles trabalham.

resenha

Em meio a tantos livros com fórmulas quase “iguais” (nada contra), Animate Me é um oásis de originalidade e beleza singular. Poético, hein? Mas é isso mesmo. Veja, alguns livros lemos só pelo prazer de lê-los e vivermos uma boa história. Já outros, e o Animate se encaixa nessa categoria, te fazem pensar durante e após a leitura. Você acaba vendo que, por trás de toda a história normal do livro, há um ensinamento valiosíssimo: a aceitação de si e do outro, a compreensão de que, não importa a sua forma física ou qualquer outra característica visual, todos merecem encontrar o amor, amar e ser amado, pois o mais importante é quem você é, sua personalidade e forma de ver o mundo.

Acho que algumas pessoas que não leram o livro devem estar agora pensando que enlouqueci ou que estou trocando as bolas, digo, os livros. Mas garanto que não, gente. Continua a leitura, tá?

Bom, a Brooke namora há algum tempo o Arnauld, um dos executivos do estúdio no qual ambos trabalham, a República do Rabisco. Longe de ser um relacionamento normal, este é mais uma acomodação da parte da Brooke, por ele ter dado oportunidades a ela em sua carreira, e também pelo fato de ele a diminuir, dizendo-lhe que ela precisa emagrecer, fazer plásticas, essas coisas. Arnauld realmente não a enxerga e ama como ela é de verdade. 😥

b1Já o nosso Nathan, longe de ser um mocinho como os que estamos acostumadas a ver, é um nerd de carteirinha e um dos desenhistas da empresa. Ele nutre uma paixão platônica pela Brooke desde que a viu em uma reunião da empresa. Primeiro ponto a favor do nosso mocinho (sim, antes que me esqueça, odiamos Arnauld, uuuuuuuuu): realmente a visão que ele tem dela é superficial porque eles não são amigos próximos em um primeiro momento, mas sabem por que ainda assim o amor que ele sente por ela é possível? Porque, mesmo de longe, ele enxergou além da sua aparência, ele viu a paixão que ela tem pelos quadrinhos (ela queria mesmo era ser desenhista, mas não tinha talento, tadinha, aí, contentou-se em ficar o mais próximo que podia do ramo, como executiva), o carinho por aqueles responsáveis por colocar as histórias em forma de desenho, quando outros executivos poderiam achar que eles são meros empregados.

Eis que o destino resolve dar uma mãozinha e a pobre Brooke se vê em uma terrível situação com o seu computador: ela precisa do fio, a cordinha do computador. Cuma, certo? 😛 Nathan, reconhecendo-a e com as emoções a mil, faz de tudo para descobrir do que se trata a tal cordinha (cabo USB, Brooke. kkkkkkkkkk), até se oferecer para ir ver o “grande” problema in loco. Olha que danadinho! 😉

b3Daí, a amizade deles começa. Mal sabe a Brooke que ele já está tão apaixonado, que ela é até a musa inspiradora da sua história em quadrinhos que ele escreve nas horas vagas. A Garota-B, sua super-heroína, combate o mal e salva o planeta. Go, B!

Atrapalhadamente, o pobre garoto apaixonado a deixa pensar que está interessado em outra garota e começa a receber “aulaa1s” de como conquistar uma mulher. Hummmm… Safadinho. Essas são as partes mais “calientes” do livro. Nada que vá te fazer achar que é um livro erótico, calma, mas o suficiente para você ver o fogo que arde em nosso pequeno nerd (campanha ‘um nerd pra chamar de meu’, eu apoio). 😀

Em meio a isso, ele descobre qual café da Starbucks ela gosta e passa a comprar pra ela um todo dia, mas, como o bom desenhista-apaixonado-talentoso-arriado-os-quatro-pneus que ele é por ela, por que simplesmente entregar o café quando você pode torná-lo muito mais interessante e ainda render uns dedinhos de prosa? Hã, hã? Esse garoto vai dominar o mundo… Ele faz desenhos no copo, gente. Eu sei, certo? Cadê meu copo desenhado, produção? Calminha que eu chego lá. Os desenhos são baseados em conversas deles e referências que só eles entendem enquanto tecem sua história juntos. Que cute cute! ❤

Como eu falei anteriormente, a emoção do livro, na minha opinião, fica por conta da forma como a Brooke e o Nathan começam a enxergar a si próprios. Ela deixa de se ver pelos olhos maldosos do Arnauld e percebe que não é fora de forma nem nada disso e que ela não deve se moldar ao gosto dele. Ela é amada da forma que é. Já Nathan deixa de se ver como um cara desajeitado (em vários sentidos, tadinho) e vê-se merecedor do amor e, principalmente, do amor da mulher amada. ❤ ❤ ❤

Ela já deve saber o efeito que suas palavras têm em mim.

Claaaaaaaaaro que pra chegar nesse ponto tem muito chão e esse chão é ladrilhado de partes fofas, românticas, engraçadas, de vontade de esganar o Arnauld, emoção, muitas trapalhadas, desenhos lindos e muito amor.

Mas será que ela sabe tudo o que me deu?

… e ela acha que fui eu quem a trouxe à vida

Nathan e Brooke, um casal aparentemente sem nada em comum, acabam por ser feitos um para o outro. Vão enfrentar uma barra pesada de deixar o nosso coração apertadinho. Mas é um amor pelo qual vale a pena lutar e é isso que eles fazem.

copo 2

Book Trailler

copo 2

Ai, ai, bateu vontadinha de ler de novo… Gostaram? Amaram? Piraram? Prometi, tá vendo? 😀

Ah, antes que eu esqueça. Menino, eu tava ali falando, falando e me empolguei. Vale muito a pena ter esse livro na estante para ler e reler muuuuitas vezes; olhar os desenhos, que são lindos; e relembrar esses dois. Psiu, se você sair correndo agora, tipo agooooora mesmo (agora pode, eu num disse que você ia mudar seu rumo), ainda deve dar tempo de você ler seu livro tomando um café num copo igual ao da capa. 😮 😮 😮 Não acredita em mim? Que feio! Juro jurandinho. Clica nesse link da Saraiva e corre lá.

Quer copinho não? Sem problemas. 😀 Aqui!

Dicas boas, né? Aproveita e curte a página do livro no face.

Montibeijo!!!

Anúncios

4 comentários em “[Resenha] Animate Me: Amor Criativo, de Ruth Clampett

    1. Own, muito obrigada, Diana. Realmente o kit de livro com copo só veio depois, mas está num preço até bom.
      De qualquer forma, fica de olho na página do livro no face, que está rolando e vai rolar promoções. Beijos. ♥♥♥

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s