Resenha

[Resenha] A Aposta, de Rachel Van Dyken

Livro: A Aposta

Autora: Rachel Van Dyken

Editora: Suma de Letras

capa de livro

 

CAPA DO LIVRO A APOSTA

sinopse

“Dois irmãos, o mesmo amor. Alguém sairá perdendo. Em quem você aposta? ‘Eu tenho uma proposta para você’. Kacey deveria ter fugido assim que ouviu essas palavras do milionário Jake Titus. O amigo de infância que Kacey não via há anos é hoje um dos homens mais poderosos e cobiçados de Seattle. E ele precisa de um favor dela – que ela finja ser sua noiva em uma viagem para visitar a avó Nadine, que está muito doente. Kacey aceita sem hesitar, afinal, o que poderia acontecer em apenas quatro dias? Mas o que ela não esperava era reencontrar Travis, o irmão mais velho de Jake, Quando mais novo, ele adorava perturbar Kacey – já incendiou uma boneca, colocou uma cobra em seu saco de dormir. Por isso, recebeu dela o apelido de ‘Satã’. Mas depois de tantos anos, Kacey se vê diante de um homem lindo, por quem se apaixona no momento em que vê o seu sorriso. O que ela não sabe, no entanto, é que os dois irmãos haviam feito uma aposta quando eram meninos – quem se casasse com Kacey receberia um milhão de dólares. Em ‘A aposta’, Kacey terá que descobrir qual dos irmãos é o cara certo e fazer sua escolha. Essa é a única certeza que lhe resta.”

resenha

Ah, o amor; este sentimento doce e ilimitado, capaz de curvar os homens mais machistas, os não românticos, os filhinhos de mamãe, os cafajestes, e os inseguros.

Rachel Van Dyken nos premiou com um romance extremamente divertido, em que todos os personagens são engraçados, mesmo quando agem com seriedade. “A Aposta” não joga sal na ferida dos personagens, açúcar demais capaz de torná-lo melado e enfadonho, nem pimenta demais, porque o livro é hot, mas na medida certa.

Tudo começa com a linda amizade de infância entre Kacey e os irmãos Titus, Jake e Travis. As primeiras páginas do livro farão os leitores se apaixonarem por Travis, o irmão atrapalhado cujos artifícios para conquistar Kacey são tão criativos e esquisitos que o fazem ganhar a fama de o irmão cruel, docemente apelidado por Kacey de “Satã”!!!

O raciocínio de Travis, na infância, é simples e matemático: Qual o sonho de toda menina na infância? Ser salva pelo príncipe encantado, certo? E se a garota não está em perigo, como salvá-la?  Simples: colocando-a no centro do perigo para depois aparecer como o príncipe encantado, e salvá-la do mal, óbvio!!!

“No mínimo, Travis tinha torturado Kacey mais do que Jake. Isso dizia muito, porque ele tinha pregado muitas peças nela quando era pequeno. Travis, no entanto, era pior. Não passava um dia sem puxar o cabelo de Kacey, jogar pedras nela ou criar o Clube Garotas São Feias e Burras e eleger Kacey como sua mascote.”

“O bom é que ele era o garoto mais esperto da turma. Sabia exatamente o que fazer. Tudo que precisava era causar o problema e depois salvá-la. Primeiro, ateou fogo na boneca dela, mas isso não funcionou conforme o planejado. Na verdade, a boneca agora estava na lata de lixo. Como ele poderia adivinhar que o extintor de incêndio não estava funcionando? Depois, colocou uma cobra no saco de dormir de Kacey. Quando ela acordou gritando, ele correu para agarrar a cobra, mas não conseguiu encontrar o bicho. Jake o entregou, e Kacey ficou com tanta raiva que chorou.”

O tempo passou para os três, mas nenhum deles abandonou seus intentos de infância, suas paixonites e planos mirabolantes.

Travis é o Tom da dupla Tom & Jerry, porque Jake sempre é o precursor do sofrimento e agruras de Kacey, mas ao final é sempre Travis quem leva a culpa pelo imbróglio. A primeira paixonite de Kacey por Jake é levada adiante até que o playboy a decepciona muito, e não vou dizer como para que não haja spoiler.

Aqueles que detestam triângulos amorosos podem ficar tranquilos ao investir na leitura, porque não existe relacionamento entre Kacey e Jake, e sim uma amizade e admiração mal interpretada pela protagonista.

Nesse ponto, todas nós leitoras vamos nos identificar com Kacey, porque nascemos admirando o belo, o esteticamente atraente, o brilho das pedras que não passam de bijuteria, quando na verdade o diamante mais raro e não lapidado estava lá, bem pertinho de nós, mas por alguma razão cravada em nosso DNA, acabamos por não enxergá-la.

A proposta de Jake trará Kacey novamente à cidade onde nasceu, e ao convívio com a família Titus. Jake é o descolado, um CEO em ascensão, que fará de tudo para ganhar a confiança de sua família e acionistas, até mesmo perturbando a frágil paz de kacey, e colocando-a no centro das atenções da comunidade e mídia. Lindo demais, imaturo demais.

Travis é sonho de consumo: macho alfa, corpo de cowboy, alma de menino, educação de realeza, humor de amigo fiel, pegada de … Hum, voltemos ao perfil dele:

 “— Onde você mora?

— No meu rancho. — Santo Deus de misericórdia. Isso explicava os bíceps e a calça jeans apertada e a caminhonete e… onde estava o Benadryl quando ela precisava dele?

— Quer dizer que você é funcionário de um rancho?

Travis deu um risinho.

— Claro, sou funcionário de um rancho. Agora entra. — O toque dele foi rápido, rápido até demais, quando a colocou dentro da caminhonete. — Não se esquece do cinto, princesa. Eu dirijo do mesmo jeito que ando.”

“Os beijos de Kacey o relaxaram de algum jeito, o fizeram se sentir confortável e…

— Droga.

— Como? — A cabeça de Kacey se levantou de repente e lhe deu uma visão gloriosa de dentro de sua blusa.

— O Benadryl. — Ai, meu Deus, ele estava enrolando a língua? Não, não, isso não estava acontecendo, não quando as coisas estavam indo tão bem.

— O que tem isso? — Kacey voltou a agir, beijando a barriga dele.

— Ixtá me deixando com xono.

Travis começou a ver tudo em dobro. Kacey de repente tinha duas cabeças, e os braços dele pareciam tão pesados que ele tinha certeza que estavam separados de seu corpo.

— Kacxi? — Talvez, se ele fechasse os olhos por um minuto, só isso, ele conseguisse se recuperar e…”

A paixão de Travis por Kacey é avassaladora desde a infância, e a forma como ele a venera é maravilhosa. Mas como eu disse no começo, o livro não é açucarado, e Travis é divertido e sensual tentando conquistar sua Kacey.

E finalmente, temos vovó Nadine, a matriarca, a estrela do bom humor e perspicácia, no alto de seus 85 anos. Apaixonei-me por ela também, e se você está se perguntando se a doença dela é de verdade, tire suas próprias conclusões:

“— Onde ela está? Onde está minha doce menina? — A vovó Nadine bateu palmas e suspirou. Um batom vermelho brilhante coloria seus lábios, e uma quantidade imoral de sombra estava lindamente espalhada sobre suas pálpebras. A vovó sempre foi deslumbrante e, aos 85 anos, ainda partia corações. Sua última conquista simplesmente era o vizinho ao lado, Sr. Casbon. O pobre homem passeava com o cachorro pela propriedade deles pelo menos três vezes ao dia. Travis costumava se preocupar de o homem sofrer uma insolação e ter um derrame na entrada de carros, mas ele era incansável e nunca interrompia sua peregrinação para dar um tchauzinho para a vovó.”

— Essa é a ideia.”

“— Sou mais velha. Você devia deixar os mais velhos vencerem.

— Vovó, se eu me lembro bem, você não só tentou me embebedar colocando álcool no meu refrigerante, mas também colocou metade de um Benadryl quando eu não estava olhando. Tivemos sorte de eu ainda estar respirando quando o jogo terminou.

A vovó fungou.

— Não há nada de errado com uma competição mais acirrada ou uma certa manipulação para tornar as coisas mais interessantes. Além do mais, a ideia do Benadryl foi totalmente da Kacey. É a resposta dela para tudo. Como naquele filme do casamento grego e Vidrex.”

Aposte nesse livro, ele no mínimo fará você gargalhar e apaixonar-se pelos personagens.

O que espero de Rachel Van Dyken em sua série The Bet? Que ela realmente “dobre a espinha dorsal” de Jake no próximo livro (The Wager), e nos traga outra história tão divertida quanto A Aposta.

sobre-o-autor

RACHEL VAN DYKENRachel Van Dyken é autora de romances contemporâneos best-seller do New York Times, Wall Street Journal, e EUA Today. Quando não está escrevendo, pode ser encontrada tomando um café no Starbucks e pensando sobre seu próximo livro enquanto assiste The Bachelor. Ela mora em Idaho com seu marido e seu boxer, Sir Winston Churchill. Rachel gosta de ouvir seus leitores! Você pode acompanhá-la em http://www.rachelvandyken.com

 

 

 

 

Onde encontrar: Saraiva

 

Anúncios

4 comentários em “[Resenha] A Aposta, de Rachel Van Dyken

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s