Book Tour

[Book Tour] Trecho Beat of the Heart (Runaway Train #2) de Katie Ashley

To read this in English click here: http://wp.me/P38u52-xO

Boa noite meninas!

Como todas sabem, o EBTB é super fã da querida Katie Ashley, e ela publicou um trecho do segundo livro da série Runaway Train, Beat of de Heart.

E nós vamos compartilhar com vocês!!!! 🙂

teaser

Cena de hoje é onde AJ e Mia se encontram pela primeira vez. Para recapitular, Mia é uma enfermeira cardíaca em St. Joseph, e os caras, menos Jake e Brayden, passaram para ver Frank.

Enquanto Frank trabalhava devorando um cachorro quente de chili, Rhys pulou na borda na frente da janela, balançando as pernas para trás e para frente, enquanto eu sentava na cadeira abominavelmente desconfortável ao lado da cama de Frank. Nós estávamos relembrando a merda que tinha acontecido enquanto ele tinha ido embora quando a porta se abriu. Imediatamente, sinto um sinal nas calças do tipo mais delicioso. Uma mulher alta, de cabelos escuros, uma enfermeira deusa de olhos escuros entra no quarto. Através de seu uniforme azul padrão, detectei que ela possuía todos os atributos que me deixa duro como madeira em instante – largos quadris curvilíneos, coxas grossas, uma bunda voluptuosa, e uma comissão de frente naturalmente cheia.

— Oh, merda! — Frank exclamou. Seu olhar em pânico varreu a direita e depois à esquerda, como se estivesse tentando pensar em uma fuga rápida. Eu não poderia imaginar a partir da forma como o seu Anjo da Misericórdia de enfermeira parecia, para não mencionar a expressão genuinamente de cuidar, que ela poderia ser digna de tal medo. Ele estava agindo como se ela fosse a enfermeira Ratched de Voando Sobre Um Ninho de Cucos ou algo assim.

Ela apenas sorriu com a reação dele. — Agora, Sr. Patterson, isso não é a sua saudação habitual. Você está sempre tão feliz em me ver.

— Eu posso ver o porquê — Rhys murmurou sob sua respiração.

— Não me diga — eu respondi.

— Er, uh… Sinto muito, Mia. — Frank deu um sorriso tranquilizador. — Eu prometo que sou muito grato pelo cuidado que você tem me dado.

— Fico feliz em ouvir isso. — Seu olhar desviou para Rhys e eu. — Vocês devem ser os netos de Frank. Ele disse que estavam vindo de fora da cidade.

Frank riu. — Na verdade, os idiotas são os meus patrões.

As sobrancelhas escuras de Mia apareceram com sua admissão. — Sério?

Com um aceno de cabeça, Frank disse: — Sim, esses são AJ Resendiz e Rhys McGowan. — Ele olhou por cima de nós. — Meninos, esta é a enfermeira mais surpreendente que qualquer homem jamais poderia esperar, Mia Martinelli.

— Você é um adulador, o Sr. Patterson — Mia respondeu, antes de dar a Rhys e em mim um aceno. — Oh, espere, agora me lembro. Vocês são os caras que meu parceiro de enfermagem estava falando. Os caras da banda.

Franzindo os lábios em um sorriso que é minha assinatura, respondi: — Bem, nós não somos apenas os caras de qualquer banda. Estamos na Runaway Train. Fomos nomeados para Melhor Artista Novo no Grammy do ano passado.

— Me desculpe, mas eu não tinha ouvido falar de você antes. — ela respondeu, pedindo desculpas verdadeiramente.

Ouch. Essa declaração foi um golpe diferente nas calças. Eu não conseguia me lembrar da última vez que uma garota não tinha instantaneamente nos reconhecido, ou pelo menos fora totalmente tiete por estar em nossa presença. Inclinei-me na minha cadeira. — Talvez você gostaria de escutar alguma?

Ela sorriu. — É claro que sim. Não é todo dia que encontro com uma banda indicada ao Grammy.

— Obrigado — Rhys respondeu, dando a Mia seu próprio sorriso sedutor. Lutei contra a vontade para dar um belo soco em seu rosto.

— Talvez você possa dar seu autógrafo em alguma coisa para mim? — Sugeriu.

Meu olhar se fechou em seus seios, e eu sabia exatamente onde queria assinar. — Claro, eu adoraria.

Mia limpou a garganta, e eu mandei o meu olhar para o dela. A expressão no rosto dela me disse que sabia exatamente onde minha mente tinha ido. — Na verdade, eu estava pensando mais se você poderia autografar um CD ou — Mia cheirou o ar, desconfiada. Seus olhos escuros se arregalaram com a visão dos recipientes Varsity abertos na frente de Frank. — Sr. Patterson, por favor, me diga que apenas três dias depois que você passou por três pontes de safena, estou alucinando com o “entupimento” da artéria na sua frente?

O rosto de Frank virou a cor de um tomate maduro demais com a advertência dela. — Talvez — respondeu ele com voz fraca.

Cruzando os braços sobre seu amplo decote, Mia balançou a cabeça para trás e para frente tão rápido que achei que ela fosse chicotear. — Quantas vezes conversamos sobre sua dieta desde que recebeu alta da UTI?

Encolhido um pouco, Frank respondeu: — Diversas vezes.

— Estou muito decepcionada com você — Mia advertiu. Seu olhar irado direto a Rhys e eu. — Uma vez que este alimento não se materializou pelo ar, acho que vocês dois são os culpados?

— Nós só queríamos trazer para ele sua comida favorita. — Rhys respondeu.

Os olhos de Mia se estreitaram. — Ele fez uma cirurgia de ponte de safena! Ele não pode comer coisas como esta.

Eu dei de ombros. — Nós não sabíamos disso.

— Você deixou seu cérebro junto com sua guitarra?

— Eu toco bateria. — corrigi.

— Seja como for. — Mia rebateu. Ela pegou a caixa de cachorros quentes de chili e batatas fritas de Frank e jogou no lixo. — Eu suponho que você acharia uma boa ideia dar uma garrafa de champanhe para alguém que está em reabilitação, né?

Ela começou jogar fora a bebida também, mas ricocheteou na tampa da lata de lixo e caiu direto no meu colo. Quebrando com o impacto, o gelo do refrigerante derramou em minha virilha, ardendo meus como punhais sobre a minha pele. — Porra! — Eu gritei, ficando em pé.

— Oh, meu Deus, eu sinto muito. — Mia se desculpou.

O que aconteceu depois só poderia ser expresso como algo saído de uma fantasia pervertida. Com um maço de guardanapos na mão, Mia caiu de joelhos diante de mim, meu pau no nível de seu lindo rosto e olhos. Ela começou furiosamente a enxugar a frente da minha calça jeans. Não levou nem dois segundos para o que vi, junto com suas ministrações, ter-me a meio mastro.

— Umm — eu comecei.

— Desculpe, mas isso vai manchar se não tirar.

Quando ousei olhar para Rhys, sua mão cobriu a boca, sufocando o riso que fez seu corpo tremer. Frank tinha uma expressão de horror divertido. Ok, então Florence Nightingale não poderia dar uma dica. Eu acho que ia ter que fazer isso tão claro quanto pudesse. Inclinando, eu sussurrei no ouvido de Mia. — Carino, se você não parar com as esfregadas, vai ter uma outra bagunça para limpar. Dentro da minha calça.

Ela ergueu a cabeça e olhou nos meus olhos. Eu vi como minhas palavras, junto com o que ela estava fazendo, caiu sobre ela. Minha respiração engatou como esperado para os sinais habituais de extrema vergonha a seguir – as bochechas avermelhadas, fala gaguejada, evitar fazer contato visual. Todas as coisas que tornam mais fácil para me mover para o golpe e tê-la em minha cama à meia-noite.

Mas não vi nenhum dessas reações.

Em vez disso, Mia se levantou e bateu os guardanapos encharcados contra meu peito. Enquanto me atrapalhava para agarrá-los, ela respondeu: — Eu estou terrivelmente arrependida. Eu não sei o que deu em mim. — Ela então começou a me dar um sorriso doentio, doce. Que me fez lembrar de Abby saindo antes que nos desse um tapa verbal. Quando se aproximou de mim, eu sabia que viria algo e mais um pouco. Ela levantou uma sobrancelha marrom. — Como deve ser terrivelmente embaraçoso e inconveniente, para você ter um problema de sensibilidade lá embaixo. Quero dizer, garotas esperam uma noite de paixão com o Sr. Amante Latino, e elas tem apenas alguns segundos. — Ela deu um estalo na parte de trás de sua garganta. — Que pena.

Minha boca estava aberta, e em vez de um espirituoso, talvez até contundente, comentário contra, eu só poderia abrir e fecha-la como um peixe morrendo fora da água. Eu não conseguia me lembrar da última vez que fiquei completamente mudo por uma mulher fora minha mãe e avó.

Mia me olhou uma última vez antes de se virar para Frank. — Sr. Patterson, voltarei para verificá-lo em uma hora. — Respondeu ela antes de rapidamente me contornar e pisar para fora da sala.

Quando a porta se fechou atrás dela, Rhys e Frank uivaram com riso. — Puta merda, cara! Eu não posso acreditar que ela disse isso para você! — exclamou Rhys, enxugando as lágrimas de seus olhos.

Olhei momentaneamente a porta fechada antes de um sorriso se espalhar pelo meu rosto. — Então, senhores, esta é a futura Sra. Resendiz, bem ali.

PRE-PA-RA!!!! 😛

1175265_10202005256276744_298994353_n

Quer saber mais sobre a série?

Goodreads: http://www.goodreads.com/book/show/17693329-beat-of-the-heart?ac=1

Para quem ainda não conhece, o livro 1:

16062210Music of The Heart

Runaway Train #1

Katie Ashley

goodstars

Para Abby Renard, o plano era para ser simples, se juntar a banda de seus irmãos na última etapa da sua turnê de verão, e decidir se ela está finalmente pronta para a ribalta, tornando-se o seu quarto membro. É claro que ela nunca imaginou que tropeçar no ônibus de turnê errado na Rock Nation, teria acidentalmente pousado-a na cama de Jake Slater, o notório vocalista mulherengo da Runaway Train. Quando ele a confunde com uma de suas groupies, Abby rapidamente esclarece que ela com certeza não está na sua cama de propósito.
Jake Slater nunca imaginou que o anjo que caiu na sua cama iria resistir a seus encantos, no mesmo instante o deixou de joelhos. Naturalmente, o fato de que ela parece uma menina certinha do coro poderia ser qualquer coisa, menos o tipo dele. Então, ele esta mais do que surpreso quando, depois de apostar com Abby que ela não duraria uma semana no seu ônibus de turnê, ela esta mais do que disposta a provar que ele estava errado. Com a vida pessoal de Jake implodindo a sua volta, ele encontra uma improvável aliada em Abby. Ele nunca conheceu uma mulher que pudesse conversar, brincar, ou o mais importante fazer música com ela.
Quando a semana começa a chegar ao fim, nem Abby, nem Jake estão prontos para seguir em frente. Pode uma cantora de Country querida e um bad boy do rockn’roll, de verdade, terem um futuro juntos?

Goodreads: http://www.goodreads.com/book/show/16062210-music-of-the-heart

Gostaria muito que essa série fosse publicada aqui no Brasil, vamos torcer certo!? 😉

Beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s